Colaboradores

Abdelilah Suisse

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

Adília Cristina Ferreira Castro Martins de Carvalho

adiliacAdília Martins de Carvalho nasceu no Porto, estudou em Braga onde se licenciou em Filosofia, tornou-se professora do ensino secundário (1992) e realizou o Mestrado em Estudos Literários Comparados na Universidade Nova de Lisboa, que concluiu com a dissertação: Circularidade e Diluição em Marguerite Duras: estudo sobre Le Ravissement de Lol. V. Stein e Le Vice-Consul. Foi leitora do Instituto Camões na Universidade de Saint-Etienne e realizou, em co-tutela com a Universidade Nova de Lisboa e a Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3, uma tese de doutoramento em Estudos Portugueses, especialidade de Literatura Comparada, intitulada Leitura das Margens nas obras de Maria Velho da Costa e Teolinda Gersão (2010). Integrou as equipas francesa e portuguesa do projecto do ILCML: Novas Cartas Portuguesas – 40 anos depois, e desenvolve actualmente um projecto de pós-doutoramento nesse âmbito, intitulado Ecos de Novas Cartas Portuguesas em França, financiado pela FCT. Os seus principais domínios de investigação são Literatura Portuguesa Contemporânea; Literatura Comparada; Estudos Feministas e Estudos de Género.

Grupo de investigação: Intersexualidades

Ana Gabriela Macedo

anagaAna Gabriela Macedo é Professora de Literatura Inglesa na Universidade do Minho (Braga) e Directora do Centro de Estudos Humanísticos. As suas áreas de investigação são a Literatura Comparada, os Estudos Feministas e de Género, as Poéticas visuais e os Estudos Interartísticos, a Literatura Inglesa (Moderna e Pós-Moderna). Publicações (seleccção): Género, Cultura Visual e Performance, orgs. AG Macedo e F. Rayner, (Braga: Húmus/CEHUM, 2011); Paula Rego e o Poder da Visão. ‘A minha pintura é como uma história interior’ (Lisboa: Cotovia, 2010); Narrando o Pós-moderno: Reescritas, Re-visões, Adaptações, (Braga: CEHUM, 2008); Dossier Género e Estudos Feministas in Diacrítica 22.3, org. AG Macedo, (CEHUM, 2008); Poéticas Inter-Artes/ Interart Poetics, org. Ana Gabriela Macedo and O. Grossegesse, (Braga: CEHUM, 2006); Dicionário da Crítica Feminista, eds. Ana Gabriela Macedo & Ana Luísa Amaral, (Porto: Afrontamento, 2005); Identity and Cultural Translation, eds. Ana Gabriela Macedo and Margarida Pereira, (Peter Lang: Oxford and Bern, 2005); Re-presentações do Corpo/ Re-presenting the Body, org. Ana Gabriela Macedo and O. Grossegesse, (Braga: Cehum, 2003); Género, Identidade e Desejo, org. Ana Gabriela Macedo, Lisboa: Cotovia, 2002). Está actualmente empenhada no desenvolvimento do projecto e livro intitulados Framing/Unframing, Resisting? Ways of ‘seeing differently’. Women and Gender in Contemporary art and literature.

Grupo de investigação: Intersexualidades

Ana Isabel Moniz

anaisabAna Isabel Moniz é Professora na Universidade da Madeira, onde se doutorou na especialidade de Literatura Francesa, em 2003, com defesa da dissertação intitulada O universo ficcional de Julien Gracq: formas, sentidos e mecanismos do Imaginário. Fez o Mestrado em Literatura Francesa, pela Universidade de Lisboa, em 1996. Tem participado e/ou co-organizado anualmente Colóquios internacionais e Seminários e publicado textos críticos. É membro, como investigadora, do Centro de Estudos Comparatistas (CEC) da Universidade de Lisboa, desde Janeiro de 2006. Realizou um Pós-Doutoramento na área dos Estudos Comparatistas, tendo obtido uma bolsa de Pós-Doutoramento concedida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), com o projecto de investigação intitulado Viagem e Utopia: os lugares da invenção de Helena Marques. É membro do Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa e das seguintes Associações: Associação Portuguesa de Literatura Comparada, Associação Internacional de Lusitanistas, Société d’étude de la Littérature Française du XX è siècle, Association des Amis de Pontigny-Cerisy e da Associação Portuguesa de Estudos Franceses, desempenhando nesta as funções de Presidente do Conselho Fiscal. Dedica-se, actualmente, à Literatura e Cultura Portuguesa e Francesa Contemporâneas.

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

Ana Margarida Martins

anamartinsAna Margarida Dias Martins é Professora Associada na Universidade de Exeter, Reino Unido. Os seus interesses de investigação centram-se nos Estudos Pós-coloniais, Feministas e Culturais em contextos lusófonos. É autora de Magic Stones and Flying Snakes: Gender and the Postcolonial Exotic in the work of Paulina Chiziane and Lídia Jorge (Peter Lang, 2012) e co-organizadora de The Lusotropical Tempest: Postcolonial Debates in Portuguese (Bristol UP, 2012). É organizadora da páginas dedicadas a escritoras lusófonas do Centre for the Study of Contemporary Women’s Writing (CCWW), no Institute of Modern Languages Research da Universidade de Londres. Integrou a equipa inglesa e irlandesa do projecto Novas Cartas Portuguesas: 40 Anos Depois, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Atualmente faz parte do projecto Consuming Authenticities: Time, Place and the Past in the Construction of Authentic Foods and Drinks, financiado pelo Arts and Humanities Research Council.

Grupo de investigação: Intersexualidades

Ana Margarida Godinho Fonseca

fotografia Ana FonsecaANA MARGARIDA FONSECA é mestre e doutora em Literatura Comparada pela Universidade de Lisboa. Professora adjunta no Instituto Politécnico da Guarda. Membro integrado do Centro de Estudos Comparatistas (FLUL) e membro colaborador do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa e da Unidade para o Desenvolvimento do Interior (IPG). Para além de artigos incluídos em revistas, obras coletivas e livros de atas de âmbito nacional e internacional, é autora de Projectos de Encostar Mundos. Referencialidade e Representação na Literatura Angolana e Moçambicana dos Anos 80 (Prémio Revelação da APE – Ensaio Literário, Difel, 2002) e de Percursos da Identidade. Representações da Nação na Literatura Pós-Colonial de Língua Portuguesa (Fundação Calouste Gulbenkian /FCT, 2012). Os seus interesses de investigação centram-se nas literaturas portuguesa, angolana e moçambicana dos séculos XX e XXI, em particular no que diz respeito às questões da identidade e memória.
Email: anafonseca@ipg.pt

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

Ângela Sarmento

angelasarÂngela Sarmento-Dingsdale é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, Estudos Portugueses e Ingleses, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Na mesma faculdade, fez Mestrado em Estudos Portugueses e Brasileiros, com dissertação sobre o poeta recifense Carlos Pena Filho. Bolseira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, frequentou dois semestres na Sorbonne Nouvelle, em Paris, onde desenvolveu trabalho no âmbito dos Estudos Interartes. Está a terminar uma tese de Doutoramento sobre a presença do cinema na poesia de Carlos de Oliveira, Herberto Helder e Manuel Gusmão. Tem publicado artigos em periódicos nacionais e internacionais e tem colaborado na realização e/ou interpretação de curtas-metragens, em Portugal e no estrangeiro. Coordenou o grupo de traduções do filme Pina Bausch: Lissabon Wuppertal Lisboa, de Fernando Lopes (versão de 2010, Midas Filmes), tendo pessoalmente assumido a tradução para inglês dos comentários “extra” da mesma obra.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Anna M. Klobucka

Anna M. Klobucka é professora nos Departamentos de Português e de Women’s and Gender Studies da Universidade de Massachusetts Dartmouth (EUA). É autora de O Formato Mulher: A Emergência da Autoria Feminina na Poesia Portuguesa (Angelus Novus, 2009), Mariana Alcoforado: Formação de um Mito Cultural (IN-CM, 2006; ed. original Bucknell University Press, 2000) e O Mundo Gay de António Botto (Documenta, 2018). Co-organizou os volumes After the Revolution: Twenty Years of Portuguese Literature 1974-1994(Bucknell University Press, 1997), O Corpo em Pessoa: Corporalidade, Género, Sexualidade (Assírio & Alvim, 2010, ed. original University of Toronto Press, 2007) e Gender, Empire and Postcolony: Luso-Afro-Brazilian Intersections (Palgrave Macmillan, 2014).

Grupo de investigação: Intersexualidades

Arturo Casas

unnamedDoutor en Filoloxía Hispánica (1996) e profesor titular de Teoría da literatura e Literatura comparada na Universidade de Santiago de Compostela (1998). Os campos fundamentais que atendeu como investigador son a obra de Rafael Dieste e os seus núcleos de acción cultural e política durante a Segunda República e o exilio, o pensamento estético-literario contemporáneo, as poéticas de resistencia, os estudos sistémicos sobre cultura e literatura, a metodoloxía da Historia literaria, o ensaio na modernidade e a poesía dos séculos XX e XXI, con especial atención á galega nos períodos 1916-1936 e 1976 en adiante. Entre as publicacións recentes pódense sinalar edicións da poesía de Uxío Novoneyra (2010) e Salvador García-Bodaño (2014), así como os volumes Performing Poetry: Body, Place and Rhythm in the Poetry Performance (2011) e Resistance and Emancipation: Cultural and Poetic Practices (2011), dos que foi coeditor. Unha relación completa de publicacións figura no seu web académico na USC. É director do Centro de Investigación de Procesos e Prácticas Culturais Emerxentes, constituído en 2010 por oito grupos de investigación. Co Grupo Alea de Análise Poética e o Consello da Cultura Galega activou en 2011 a base de datos e repositorio dixital poesiagalega.org, da que é editor. Colaborou en traducións de poesía estonia, irlandesa, italiana e árabe.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Burghard Baltrusch

Burghard Baltrusch é professor de Literatura em Língua Portuguesa e investigador do grupo GAELT e da I Cátedra Internacional José Saramago na Universidade de Vigo. Desenvolve pesquisas sobre as obras de Fernando Pessoa e José Saramago, a poesia galega e portuguesa da actualidade, como também em teoria da tradução. Integrou diferentes projectos de investigação sobre a poesia contemporânea; coordenou programas de doutoramento; foi presidente da Asociación Internacional de Estudos Galegos e organizou vários congressos internacionais. Publicou ou editou, entre outros, os seguintes livros Bewußtsein und Erzählungen der Moderne im Werk Fernando Pessoas (Peter Lang, 1997), Kritisches Lexikon der Romanischen Gegenwartsliteraturen (5 vols., coed. com W.-D. Lange et al., G. Narr-Verlag, 1999), Non-Lyric Discourses in Contemporary Poetry (coed. com I. Lourido, Peter Lang, 2012), Lupe Gómez: libre e estranxeira – Estudos e traducións (Frank & Timme, 2013), “O que transformou o mundo é a necessidade e não a utopia” – Estudos sobre utopia e ficção em José Saramago (Frank & Timme, 2014).

Site: https://uvigo.academia.edu/BurghardBaltrusch.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Catherine Wanda Yvonne Dumas

Catherine Dumas é professora emérita de língua e literatura portuguesas na universidade da Sorbonne Nouvelle Paris 3. É autora da primeira tese de doutoramento em França sobre a obrada romancista portuguesa Agustina Bessa-Luís e dum livro sobre a mesma autora, Estética e Personagens (Campo das Letras, 2001). Interessa-se em especial no cruzamento das escritas do íntimo e do discurso poético, nas questões de género, no diálogo inter-artes e no diálogo entre os textos literários e a filosofia no âmbito da literatura-mundo. Publicou numerosos livros colectivos e artigos sobre a ficção contemporânea e a poesia, portuguesas e brasileiras. Traduziu do português para o francês poesia, ficção, teatro e diários. É membro de vários centros de pesquisa nas universidades francesas, portuguesas e brasileiras. Colabora, entre outras, na revista Colóquio Letras.

Grupo de investigação: Intersexualidades e Intermedialidades

Célia Pedrosa

Célia Pedrosa é pesquisadora 1 do CNPq e professora associada de Literatura Brasileira e Literatura Comparada na Universidade Federal Fluminense, onde coordena os Grupos de Pesquisa Poesia e contemporaneidade e Pensamento teórico-crítico do contemporâneo. Coordenou convênio CAPES-FCT entre a UFF e a Universidade do Porto e atualmente entre a UFF e a Universidade Tees de Febrero (Buenos Aires), integrando ainda equipe de convênio com a Universidade Nova de Lisboa. Tem publicados os livros Antonio Candido: a palavra empenhada (EdUSP/EdUFF) e Ensaios sobre poesia e contemporaneidade, além de, como organizadora, cinco coletâneas de ensaios sobre poesia e crítica contemporâneas.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Chatarina Edfeldt

Grupo de investigação: Intersexualidades

Claire Elisabeth Williams

Grupo de investigação: Intersexualidades

Claudia Maria Moreno de Oliveira Pazos Alonso

Cláudia Pazos-Alonso é professora

Cláudia Pazos-Alonso é professora de Estudos Portugueses e de Gênero, na Universidade de Oxford e na Fellow of Wadham College. Os seus interesses de pesquisa variam amplamente em literatura lusófona dos séculos XIX e XX. As principais publicações de livros incluem “Antigone Daughters? Gênero, Genealogia e Política de Autoria na Escrita de Mulheres Portuguesas do século XX” (2011, com Hilary Owen), “Imagens do Eu na Poesia de Florbela Espanca” (1997) e volumes co-editados, como “Reading Literature in Portuguese“. Comentários em “Honra de Tom Earle” (2013), “Um Companheiro para a Literatura Portuguesa” (2009) e “Mais Perto do Coração Selvagem. Ensaios sobre Clarice Lispector” (2002). Juntamente com Fábio Mário da Silva, é responsável pelas recentes edições de Florbela Espanca (Estampa) e Judith Teixeira (Dom Quixote). Cláudia Pazos-Alonso está ainda a completar uma monografia provisoriamente intitulada “Pressing for Change: Francisca de Assis Martins Wood”, com as publicações periódicas do século XIX (1868-9) e modernas dos editoriais de Wood e da sua novela “Maria Severn”. Atualmente é co-diretora de mestrado em Estudos da Mulher em Oxford e vice-presidente da Associação Internacional de Lusitanos.

Grupo de Investigação: Intersexualidades

Daniel Jonas

DANIEL JONAS nasceu no Porto em 1973. É mestre em Teoria da Literatura pela Universidade de Lisboa com uma dissertação sobre o poeta inglês John Milton, de que resultou a tradução de Paraíso Perdido (Cotovia, 2006).
Publicou vários livros de poemas, entre os quais Os Fantasmas Inquilinos (Cotovia, 2005), Sonótono (Prémio PEN 2007; Cotovia, 2006), Passageiro Frequente (Língua Morta, 2013), Nó (Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes; Assírio & Alvim, 2014), Bisonte (Assírio & Alvim, 2016) e Canícula (Língua Morta, 2017). Para o Teatro Bruto escreveu Nenhures (2008), Reféns (2009), Estocolmo (2011) e o libreto Still Frank (2013). Lady & Macbeth (2017) é a sua mais recente incursão para palco. Traduziu ainda obras de William Shakespeare, Luigi Pirandello, J-K Huysmans, Charles Dickens, Evelyn Waugh, Malcolm Lowry, Edward St. Aubyn, Eimear McBride, John Berryman, entre outros. No TNSJ, traduziu O Mercador de Veneza, de Shakespeare, encenado por Ricardo Pais (2008) e Macbeth (Nuno Carinhas 2017). Foi galardoado com o prémio David Mourão-Ferreira/Cátedra Aldo Moro da Universidade de Bari para o conjunto da sua obra na qualidade de Promessa e foi ainda um dos sete poetas nomeados para o Prémio Europeu da Liberdade, pelo seu livro Passageiro Frequente (Língua Morta, 2013), traduzido em polaco por Michał Lipszyc. O seu mais recente livro é Oblívio (Assírio & Alvim, 2017).
Foi Writer in Residence na Stanford University e tem leccionado e falado em diversos ocasiões e programas, a que se acrescenta uma actividade ensaística dispersamente publicada. Prossegue os seus estudos de doutoramento na Universidade de Lisboa.

Djalma Thurler

DJALMA THÜRLER é especialista em Gestão e Políticas Culturais pela Universidade de Girona (ES), Investigador Pleno do do CULT – Centro de Pesquisa Multidisciplinar em Cultura, da UFBA, Investigador Associado do CLAEC – Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura e Investigador Colaborador do ILCML – Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, da Universidade do Porto (Portugal). É diretor artístico e dramaturgo da ATeliê voadOR Companhia de Teatro (http://www.atelievoadorteatro.com.br/). Possui estágio de Pós-Doutoramento em Literatura e Crítica Literária pela PUC São Paulo. É Professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade e Professor Associado do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidad e Federal da Bahia. É Doutor em Letras com estudos nas áreas de Literatura Brasileira e Teatro (UFF), Mestre em Ciência da Arte (UFF) e Bacharel em Artes Cênicas e em Pedagogia, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNI-RIO). É Consultor da Câmara II – Sociais e Humanas – da CAPES desde 2012.

Elena Losada

Grupo de investigação: Intersexualidades

Emerson Inácio

emersonDoutor em Letras em Literatura Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006), tendo sido orientado pelo Prof. Dr. Jorge Fernandes da Silveira. Desde 2006 atua na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo e é Pesquisador 2 do CNPq. Atua nas áreas de Letras, com ênfase em Literatura Comparada, priorizando os seguintes temas: Poesia Brasileira e Portuguesa do século XX, Literaturas Afrodescendentes, Estudos Culturais, Teoria Queer, e Estudos Subalternos e de Gênero. Publicou Retratos do Brasil Homossexual (EdUSP, 2010) e A Herança Invisível (EdUEA, 2013).

Grupo de investigação: Intersexualidades

Fabiane Borsato

Francesca De Rosa é doutora em Culturas de Países Ibero-Americanos e estudos Luso-Africanos concedido pela Universidade de Nápoles “L’Orientale” (Unior). A sua pesquisa incluiu o estudo das culturas e literaturas pós-coloniais e estudos visuais no contexto português. Os seus estudos fazem um registo da representação da alteridade em documentários e cinema dos países coloniais. Atualmente trabalha em Língua portuguesa, Cultura e Literatura na Universidade Oriental de Nápoles.

Fernando Beleza

belezaFernando Beleza é Professor Auxiliar na Universidade de Newcastle, no Reino Unido. É co-editor do volume de ensaios Mário de Sá-Carneiro, a Cosmopolitan Modernist (Peter Lang, 2017). A sua pesquisa aborda vários aspetos das literaturas e cinemas luso-afro-brasileiras modernas e contemporâneas. Tem publicado artigos e capítulos de livros sobre cosmopolitismo(s) modernistas, raça, género e sexualidade nas literaturas e culturas (pós)coloniais lusófonas e ecologias luso-afro-brasileiras.

Página pessoal: https://unh.academia.edu/FernandoBeleza

 

Grupo de investigação: Intersexualidades

Fernando José de Almeida Esperança Clara

Fernando Clara é Professor do Departmento de Línguas, Culturas e Literaturas Modernas da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Doutorado em Cultura Alemã por aquela mesma Universidade (2002), as suas principais áreas de trabalho e investigação compreendem os Estudos Alemães, Estudos Europeus, Estudos Culturais e as Relações Luso-Alemãs. De entre as suas publicações recentes destacam-se Mundos de Palavras. Viagem, História, Ciência, Literatura: Portugal no espaço de Língua Alemã (1770-1810) (Frankfurt am Main: Peter Lang 2007), e os volumes co-editados Rahmenwechsel Kulturwissenschaften (Würzburg: Königs¬hausen & Neumann 2010), Europe in Black and White. Interdisciplinary Perspectives on Immigration, Race and Identity in the ‘Old Continent’ (Bristol, UK/Chicago, USA: Intellect 2011) e A Angústia da Influência. Política, Cultura e Ciência nas relações da Alemanha com a Europa do Sul, 1933-1945 (Frankfurt am Main: Peter Lang 2014).

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

Fernando Teixeira Batista

foto_ilcFernando Teixeira Batista licenciou-se em Ensino de Humanidades pela Universidade Católica Portuguesa. Obteve, posteriormente, o Mestrado em Educação, na especialidade de Supervisão Pedagógica em Ensino do Português, pela Universidade do Minho, com uma dissertação sobre a leitura de poesia na Escola. Doutorou-se em Literaturas e Culturas Românicas, especializando-se em Literatura Portuguesa, pela Faculdade Letras da Universidade do Porto, com uma tese sobre a obra literária de Fernando Namora. No presente tem 20 anos de docência no Ensino Secundário a lecionar Português/Literatura Portuguesa. É também Investigador/colaborador no Centro de Literatura Comparada Margarida Losa da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. A área de investigação que mais o tem interessado é a medicina narrativa e a confluência da doença e da atividade clínica na literatura. Tem publicado artigos e ensaios, bem como participado em congressos, sobre a obra de Fernando Namora e, particularmente, sobre a doença e a medicina na obra deste escritor.

BATISTA, Fernando (2011). “A poesia de Fernando Namora – Terra, um contributo para o conhecimento da gleba” in Nova Síntese, nº 5. 2011. Lisboa: Edições Colibri. pp. 65-93.
BATISTA, Fernando Teixeira (2015). “O sintomas do Homem nos doentes e nos médicos de Fernando Namora” in Cabral, M. de Jesus; Reynaud, M. João; Outeirinho, M. Fátima; Almeida, J. Domingues (org.). Maux en Mots – traitements littéraire de la maladie. Porto: FLUP. pp. 55-70 > URL: http://ler.letras.up.pt/site/default.aspx?qry=id022id1458&sum=sim
BATISTA, Fernando Teixeira (2015). “Fernando Namora: do espaço autobiográfico à unidade dialética de uma obra de gigante” in Carvalho, Paulo Archer de (coord.). Pois não te resta ainda o mundo? – Conferência Fernando Namora. Condeixa: Câmara Municipal de Condeixa. pp. 17-
BATISTA, Fernando (2016). Fernando Namora – retratos ficcionais de um país real. Edições Húmus (edição de livro em curso resultante da tese de doutoramento).

Interesses de investigação: Representações literárias da doença e dos doentes, bem como dos ambientes hospitalares e da atividade clínica. A doença, a fragilidade humana e a autenticidade sem máscaras sociais. A medicina narrativa e a anamnese. Fernando Namora, escritor-médico: da escrita diagnóstica à escrita catártica. Diagnose social e questões de género.

Grupo de investigação: Intersexualidades

Francesca de Rosa

Francesca De Rosa é doutora em Culturas dos Países de Línguas Ibéricas e Ibero americanas, área luso-africana tendo realizado um trabalho relativo às construções e representações da alteridade no documentário colonial português em África na primeira metade do Séc. XX na Universidade de Napoli “L’Orientale”; ocupa-se também de culturas e literaturas pós-coloniais, estudos visuais relativo ao universo dos países de língua portuguesa.

Graça Maria Constantino Nunes de Oliveira Capinha

gracaGraça Capinha é Professora Auxiliar do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC), Secção de Anglo-Americanos, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), e Investigadora do Centro de Estudos Sociais-Laboratório Associado (CES). É doutorada em Literatura Norte-Americana pela Universidade de Coimbra. Foi directora do Instituto de Estudos Norte-Americanos, membro da Comissão Coordenadora do Conselho Científico da FLUC, do Conselho Científico do DLLC-FLUC e da Direcção do CES. Co-organizou e co-dirigiu vários Programas inter- e transdisciplinares de 3º ciclo (FLUC/CES). Tem leccionado em vários cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento no domínio da literatura inglesa e norte-americana, da poética e da poesia contemporâneas, bem como da escrita criativa. Foi Investigadora Responsável dos Projectos Colectivos Novas Poéticas de Resistência: O Séc. XXI em Portugal (FCT/CES – 2011) e Emigração e Identidade (JNICT/CES – 1997), tendo participado na equipa de investigação de vários outros projectos, dentro e fora de Portugal, sobre poesia e poética, e sobre emigração. Entre 1991 e 1999, esteve ligada ao Poetics Program, da State University of New York (SUNY at Buffalo, EUA), aí tendo trabalhado com alguns nomes da poesia e da teoria L=A=N=G=U=A=GE . De 2001 a 2002, foi docente de Poética em vários cursos intensivos para músicos no Centro para o Estudo das Artes de Belgais, dirigido pela pianista Maria João Pires. Co-organizadora dos Encontros Internacionais de Poetas da FLUC (1992-5-8-2001-4-7-10), foi também a principal responsável pela criação do Programa de Poetas em Residência da FLUC, programa que coordena (2007-). Dirigiu a Oficina de Poesia. Revista da Palavra e da Imagem (FLUC, Reitoria da UC e CES, 1997- 2013). Co-coordena a série Literatura e Artes da Colecção CES/Almedina. As suas publicações centram-se na temática da poética contemporânea (sobretudo norte-americana e portuguesa, na sua relação com questões de âmbito social e político, por exemplo, as relacionadas com identidades e a emigração).

Grupo de investigação: Intersexualidades

Hilary Owen

Grupo de investigação: Intersexualidades

Ida Maria Santos Ferreira Alves

idaalvesIda Alves é professora associada de graduação e pós-graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense-UFF, Niterói, Rio de Janeiro, desde 1993. Doutora em Letras (Literatura Portuguesa) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, com tese defendida em 2000. Pós-Doutorado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1995) e pela Université Sorbonne Nouvelle – Paris III (2011- 2012, apoio CAPES – BRASIL). Coordena o Núcleo de Estudos de Literatura Portuguesa e Africana – NEPA-UFF. É Coordenadora de Pesquisa do Pólo de Pesquisa das Relações Luso-Brasileiras (PPLB), sediado no Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro. Coordenadora Adjunta da Área de Letras e Linguística na CAPES. Tem livros organizados sobre poesia portuguesa e brasileira, além de diversos capítulos de livros e artigos publicado em revistas brasileiras e estrangeiras, sobre poesia portuguesa moderna e contemporânea, crítica de poesia e, mais especificamente, sobre as relações entre linguagem poética e paisagem na poesia portuguesa e brasileira moderna e contemporânea. É pesquisadora-bolsista do Conselho Nacional de Pesquisa – CNPq – Brasil e integra o grupo internacional de pesquisa sobre linguagem poética e visualidade LyraCompoetics, com sede no Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da Universidade do Porto.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Isabel Caldeira

Isabel Caldeira é professora associada da FLUC e investigadora do Centro de Estudos Sociais.
Os seus interesses de investigação centram-se na literatura e cultura afro-americanas, diáspora africana, estudos inter-americanos, estudos comparados e estudos feministas. Contribuiu para Translocal Modernisms: International Perspectives (Peter Lang, 2008); Trans/Oceanic, Trans/American, Trans/lation: Issues in International American Studies (Cambridge Scholars, 2009); America Where? 20th-Century Transatlantic Perspectives (Peter Lang, 2012), que também organizou. Das suas publicações mais recentes: “Memory is of the Future: Tradition and Modernity in Contemporary Novels of Africa and the African Diaspora”, e-cadernos ces 26 (2016): 68-91; “Toni Morrison and Edwidge Danticat: Writers-as-Citizens of the African Diaspora”. Companion to Inter-American Studies. Ed. Wilfried Raussert. NY: Routledge, 2017, 207-218; “‘What moves at the margin’: Toni Morrison, bell hooks e Ntozake Shange”, em The Edge of One of Many Circles, que também co-organizou (Coimbra: IUC, 140-162); e, com Gonçalo Cholant. “Homeland (in)security: African Americans in a ‘racial house’ called America”. Anglo Saxonica III, 14, 2017 (no prelo).

Joana Espain Oliveira

joanaeJoana Espain Oliveira é Professora Auxiliar no Departamento de Engenharia Física da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, doutorada em Física pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (2007), com a dissertação Evolução de Redes de Paredes Cosmológicas e Cenários de Energia Escura. Possui mestrado em Física da Matéria Condensada pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (2000). Tem cerca de 30 artigos científicos publicados em revistas internacionais com arbitragem científica, e 40 comunicações em conferências científicas nacionais e internacionais. Participou em 14 projetos científicos financiados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. É atualmente coordenadora de um projeto, também financiado pela FCT, da Faculdade de Engenharia, em colaboração com a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. A sua atividade de investigação científica em Física tem sido desenvolvida na área de Física Teórica e Computacional em Cosmologia e Ciência dos Materiais. Em 2011 concluiu a parte curricular do Mestrado em Estudos Literários, Culturais e Interartes pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e ingressou no Doutoramento em Literaturas e Culturas Românicas pela mesma Faculdade no âmbito do qual desenvolve actividade de investigação sobre o imaginário científico na poesia de Emily Dickinson. Publicou artigos na área de Literatura e Ciência. É autora do livro de poesia As linhas não existem (Incomunidades, 2011) e do livro para crianças O caracol que voava quando a Hana corava (Quidnovi, 2012).

João Rodrigues

joaorJoão Rodrigues licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas (Estudos Ingleses e Alemães – Ramo de Formação Educacional) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Concluiu, na mesma instituição, o mestrado em Estudos Germanísticos em 2007 com uma dissertação intitulada O espaço no romance Faserland de Christian Kracht. Prepara, atualmente, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, uma tese de doutoramento intitulada A vigilância nos romances Surveillance, de Jonathan Raban, e Teil der Lösung, de Ulrich Peltzer.

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

João Pedro da Costa

jpcminJoão Pedro da Costa é doutorado em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais (FLUP & UA, 2014) e licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (FLUP, 2004). É o autor de Da MTV para o YouTube: a convergência dos vídeos musicais (ILCML/Afrontamento, 2017). Nasceu em França (Mulhouse) e veio para Portugal aos dezanitos. Trabalhou com livros e discos enquanto concluía a sua licenciatura e depois viveu da escrita para a televisão (MTV Portugal, Nickelodeon), rádio (Antena 3), cinema (documentário É Dreda Ser Angolano da Rádio Fazuma) e a rede. Tem obra literária e ensaística publicada e premiada nacional e internacionalmente em Português, Francês e Inglês. É um dos editores-fundadores da revista electrónica de estudos e práticas interartes ESC:ALA. A sua área de investigação incide sobre as possibilidades interdisciplinares dos Estudos Literários no campo da mediação tecnológica, a comunicação videomusical e a música popular. Gaba-se muito de ser maratonista.

 

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Jorge Miguel Bastos da Silva

Jorge Bastos da Silva é docente do Departamento de Estudos Anglo-Americanos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. As suas áreas de investigação principais são a Literatura e a Cultura Inglesas, a História Intelectual, os Estudos sobre a Utopia e os Estudos de Tradução e Recepção. É autor e organizador de diversas obras, entre elas: O Discurso sobre a Tradução na Literatura Portuguesa (Classicismo e Romantismo) – Antologia (2015); Tradução e Cultura Literária. Ensaios sobre a Presença de Autores Estrangeiros em Portugal (2014); The Epistemology of Utopia: Rhetoric, Theory and Imagination (2013); A Instituição da Literatura. Horizonte Teórico e Filosófico da Cultura Literária no Limiar da Modernidade (2010); Vasco José de Aguiar, Utopista Português do Século XIX (2010); Shakespeare no Romantismo Português. Factos, Problemas, Interpretações (2005); Utopias de Cordel e Textos Afins. Uma Antologia (2004); O Véu do Templo. Contributo para uma Topologia Romântica (1999).

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

Karina Carvalho de Matos Marques

karinaKarina Carvalho de Matos Marques é professora nas universidades Rennes 2 e Sorbonne Nouvelle – Paris 3. Doutora em literatura comparada, brasileira e portuguesa, sua tese versou sobre a obra de Ilse Losa e Samuel Rawet. Em seu mestrado, estudou a literatura produzida por filhos de imigrantes portugueses na França. Trabalha atualmente em um projeto de edição da correspondência de Ilse Losa. Alguns artigos publicados: «Les fêtes de Pâques et de Noël: le poids de la mémoire collective chez Ilse Losa et Samuel Rawet», in Cahier du Crepal, N° 18, octobre 2014, pp. 35-46; «La violence du corps contre le carcan social dans le conte A Luta de Samuel Rawet», in Collection Le monde luso-hispanophone. Normes et déviances dans le monde luso-hispanophone, Nancy, Éditions Universitaires de Lorraine – Presses Universitaire de Nancy, 2013, pp. 387-395; «Holocausto e exílio: o refugiado no corpo social português e brasileiro», in Revista Abril, v. 5, N° 11, novembro de 2013, pp. 99-115; «O peso da memória coletiva na obra de Ilse Losa e Samuel Rawet. Portugal, Brasil e a identidade judaica» in Revista Convergência Lusíada, No 28, julho/ dezembro de 2012, pp. 133-151; «Imigração portuguesa na França e dupla pertença cultural: A força da palavra paterna como interdição da cultura de origem no romance Poulailler de Carlos Batista», in Revista LETRÔNICA, v. 5, fevereiro de 2012, pp.50-62.

Livia Apa

Grupo de investigação: Intersexualidades

Loredana Polezzi

Grupo de investigação: Intersexualidades

Luca Argel

Luca Argel é músico e poeta. Licenciado em Música pela UNIRIO, no Rio de Janeiro, e mestre em Literatura pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, cidade onde reside desde 2012. Tem três livros de poesia publicados no Brasil, um dos quais foi semifinalista do Prémio Oceanos 2017, outros três publicados em Portugal, e uma antologia traduzida em Espanha. Em 2016 lançou seu primeiro disco a solo “tipos que tendem para o silêncio”, e em 2017 o segundo, “Bandeira”. Em 2018, em colaboração com a cantora Ana Deus, lançou o audiolivro “Ruído Vário”, com versões musicais de poemas de Fernando Pessoa.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Luiz Fernando Valente

luisvNatural do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Valente foi educado no Brasil e nos Estados Unidos. Atualmente é Professor Titular de Estudos Portugueses e Brasileiros e Literatura Comparada na Brown University. É autor de Mundivivências: leituras comparativas de Guimarães Rosa (2011), História e ficção: convergências e contrastes (2002), e mais de oitenta capítulos de livro, artigos em revistas acadêmicas e ensaios em obras de referência. Seu ensaio “History, Fiction and National Identity in J. U. Ribeiro’s An Invincible Memory and R. Coover’s The Public Burning” foi premiado pela Seção Brasileira da Latin American Studies Association (LASA) como o melhor artigo sobre o Brasil publicado numa revista acadêmica norte-americana em 2011. Seus interesses incluem: 1. A prosa brasileira dos séculos XIX e XX, com ênfase nas obras de José de Alencar, João Guimarães Rosa, João Ubaldo Ribeiro, Euclides da Cunha, e Lima Barreto; 2. A intersecção entre a ficção e a história; 3. A construção da identidade nacional e a representação da nação; 4. A Literatura Comparada, especialmente o romance histórico contemporâneo e a Literatura das Américas; 5. A teoria literária, especialmente a narrativa; 6. A poesia brasileira desde 1945. O Professor Valente é co-editor de Brasil/Brazil: A Journal of Brazilian Literature, Editor de Literatura Latinoamericana de The Explicator, e membro dos conselhos editorias de ellipsis, Portuguese Cultural Studies, SOLETRAS, e Aletria: Revista de Estudos de Literatura. Participa ativamente de várias organizações profissionais, tendo sido Presidente da American Portuguese Studies Association (APSA) e da Northeastern Association of Brazilianists (NAB), e servido nos Comitês Executivos da Association of Departments of Foreign Languages (ADFL) e da Brazilian Studies Association (BRASA). De 2003 a 2012 o Professor Valente foi Director do Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros da Brown University. Dirige o Programa Brown-in-Brazil desde 1985.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Maria de Fátima de Sousa Basto Vieira de Melo Costa

fatimavFátima Vieira é Professora Associada com Agregação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde leciona desde 1986. É Presidente da Utopian Studies Society / Europe desde 2006. As suas principais áreas de investigação são os Estudos sobre a Utopia, os Estudos Comparatistas, a História do Pensamento Político Inglês, os Estudos de Tradução e os Estudos Shakespeareanos. No ILCML – Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, foi a Coordenadora das três edições do projeto Utopias Literárias e Pensamento Utópico: A Cultura Portuguesa e a Tradição Intelectual do Ocidente (2001-2010), financiados pela FCT. Entre 2008 e 2010, Fátima Vieira coordenou o projeto de extensão universitária Eurotopia 2100: Um Projeto Interativo, que envolveu mais de 4.000 estudantes de todos os níveis de ensino, que foram convidados a imaginar como poderá ser idealmente o futuro. Coordena atualmente o projeto PAN-Utopia 2100: Um Projeto Interativo, que agora se centra na imaginação da alimentação do futuro e da sua repercussão na sociedade, a todos os níveis. Fátima Vieira é também Diretora da coleção Nova Biblioteca das Utopias, da editora Afrontamento, e Diretora das revistas eletróncias E-topia e Spaces of Utopia. É ainda Editora da secção de recensões (Book Review Editor) da revista científica americana Utopian Studies, publicada pela Penn State University Press. Em 2013, a associação americana e canadiana Society for Utopian Studies atribuiu a Fátima Vieira o prémio “Larry E. Hough Distinguished Service Award” pelo trabalho realizado, por um período considerável de tempo, na área dos Estudos sobre a Utopia. Fátima Vieira tem feito muitas conferências em Portugal e no estrangeiro, tem vindo a organizar um considerável número de congressos internacionais e organizou e contribuiu para vários volumes publicados nas suas áreas de especialidade.

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades e Intersexualidades

Maria de Lurdes Nogueira Gonçalves

IMG_1129_1Lurdes Gonçalves tem uma pós-gradução em Literatura e Culturas Comparadas (Fac. Letras da Univ. Porto) e em gestão de projetos (Porto Business School). É gestora de ciência e tecnologia no Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, no âmbito do programa Estratégico da Unidade. É assistente da direção da Unidade e apoia todas as atividades científicas do ILC. As áreas científicas de interesse são a Literatura Comparada e Estudos sobre Poesia.

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

Mariana Cepeda de Mendonça

Mariana Cepeda é mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes, pela Universidade do Porto, onde desenvolveu a dissertação “Fogo-fátuo? Mulheres detetives na ficção policial brasileira”, orientada pela Professora Doutora Maria de Lurdes Sampaio e coorientada pela Doutora Marinela Freitas. Concluiu sua graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde também foi bolsista de iniciação científica do Grupo de Pesquisa em Imagem e Sociabilidade (GRIS). Publicou o artigo “O Céu de Suely: expressão corporal, performatividade de gênero e mulheres possíveis” (2016), no International Journal of Cinema (Avanca), e o ensaio “De olhos bem abertos: uma leitura do livro e do filme A Costa dos Murmúrios em diálogo com os Estudos Feministas” (2016), nos Cadernos de Literatura Comparada do ILC. Suas áreas de interesse atual são: Estudos Feministas e Queer, Literatura Policial e Literaturas de Língua Portuguesa.

Mário César Lugarinho

Mário César Lugarinho é bolseiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Brasil), desdel 2001, Livre-docente (USP, 2012) e Doutor em Letras (Puc-Rio, 1997). É Professor Associado da Universidade de São Paulo e foi Professor da Universidade Federal Fluminense (1994-2007). Publicou Manuel Alegre: mito, memória, utopia (Lisboa: Colibri, 2005), Uma nau que me carrega (Manaus: UEA, 2013) e Do afável ao inefável (Manaus: UEA, 2012). Pesquisa com ênfase nas Literaturas Africanas de Língua Portuguesa e na Literatura Portuguesa, principalmente nos seguintes temas: Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, Estudos Pós-coloniais, Estudos de Gênero (masculinidades) e Estudos Queer.

Currículo Lattes:
http://lattes.cnpq.br/5809473697987288
Orcid:
https://orcid.org/0000-0002-7072-7411
ResearchID:
http://www.researcherid.com/rid/E-4551-2013

Grupo de investigação: Intersexualidades

Mário Matos

mmatosMário Matos é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade do Porto (1989), fez o mestrado em Literatura e Cultura Alemãs na Universidade Nova de Lisboa (1997) e doutorou-se em Ciências da Cultura na Universidade do Minho (2007), onde leciona desde 1992. Na UMinho foi diretor do Departamento de Estudos Germanísticos e Eslavos (2008-2013), diretor do curso de Mestrado em Estudos Luso-Alemães (2008-10) e da licenciatura em Estudos Culturais (2014-2016). É desde 2016 vice-presidente do Instituto de Letras e Ciências Humanas.
As suas áreas de docência ao nível da licenciatura, do mestrado e do doutoramento são a literatura e cultura alemãs, a literatura de viagens e a tradução.
Mário Matos é investigador do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho (CEHUM), onde coordena um grupo de investigação dedicado aos Estudos Transculturais (NETCult: http://ceh.ilch.uminho.pt/netcult.php), e também colaborador do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (GrupoInter/Transculturalidades, Faculdade de Letras da Universidade do Porto).
Entre as suas publicações mais recentes destacam-se os seguintes livros:
(2016) (co-org) Transcultural Amnesia. Mapping Displaced Memories, Ed. Húmus; (2012) (co-org.) Intercultural Mnemo-Graphies /Interkulturelle Mnemo-Graphien/Mnemo-Grafias Interculturais, Ed. Húmus; (2011) (co-org.) Zonas de Contacto: Estado Novo/III Reich(1933-1945); Ed. TDP; (2010) Postigos para o Mundo. Cultura Turística e Livros de Viagens na República Democrática Alemã(1949-1989/90), Ed. Húmus; (2009) (co-org.) Transversalidades: Viagens-Literatura-Cinema, Braga, Ed. Universidade do Minho. É ainda autor de vários capítulos de livros e numerosos artigos em revistas e antologias nacionais e internacionais.

Grupo de Investigação: Inter/transculturalidades

Marta Correia

martacorreiaMarta Correia frequenta o doutoramento em Estudos Literários, Culturais e Inter-artísticos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Terminou o seu mestrado em Estudos sobre Mulheres em 2013. Os seus principais interesses de investigação incluem a faceta feminista de Virginia Woolf, grupos ativistas de mulheres e também autoras que se debruçam sobre o tema da guerra. Neste momento, está a trabalhar a escritora de origem croata, Slavenka Drakulić, que dedicou algumas das suas obras ao conflito na ex-Jugoslávia. Marta Correia tem colaborado em alguns projetos da Universidade do Porto coordenados pelo CETAPS (the Centre for English, Translation and Anglo-Portuguese Studies) e pelo ILCML (Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa), tem estado envolvida na organização de congressos e participado em vários encontros académicos internacionais em Portugal e no estrangeiro.
Grupo de investigação: Intersexualidades

Mathilde Ferreira Neves

mathildeMathilde Ferreira Neves  trabalha nas áreas de cinema e literatura. Com bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia, doutorou-se na FLUP – a sua tese intitula-se “O que (nos) resiste? O gesto espectrográfico em Pedro Costa, Claudio Parmiggiani e Joaquim Manuel Magalhães” (2018) .  Foi co-fundadora e editora da revista electrónica de estudos e práticas interartísticas ESC:ALA (entre 2014 e 2017). É autora do livro Marguerite Duras – O cinema da escrita | A escrita da voz | A voz do cinema (Afrontamento/2013), que reproduz a sua tese de Mestrado na FLUP. Co-realizou a curta-metragem sobe, adensa, esgarça, desce, estreada no Festival Indie Lisboa 2007. Viajou três meses pela China, com bolsa da Fundação Oriente, para desenvolver um projecto de escrita e imagem (2005) – ainda em curso. Com bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, completou o estágio de documentário dos Ateliers Varan, em Paris e realizou o documentário Gaëtan (2003). Licenciou-se em Ciências da Comunicação – variante Cinema na FCSH-UNL (2001).

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Paulo César Souza García

Paulo César García é licenciado em Letras Vernáculas pela Universidade Católica do Salvador (1989). Doutor em Literatura (Área de concentração: Teoria literária) pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (2008) e Mestre em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE (1999). Realizou estágio Pós-doutoral no Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor Titular da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), atua na licenciatura em Letras e no Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural – Pós-Crítica do Departamento de Educação da UNEB / DEDC II. É pesquisador do GT da ANPOLL Homocultura e Linguagens, do grupo de pesquisa Enlace (UNEB) e Cultura e Sexualidade (Cus/UFBA), e pesquisador colaborador do grupo Intersexualidades no Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da Universidade do Porto/Portugal. Publicou o livro “Representações do homoerotismo na literatura”, em 2015 e organizador do livro “Homocultura e Linguagens”, em 2016. Lida com as seguintes linhas de pesquisa: Estudos de Gênero e identidades sexuais na literatura; Teoria e Crítica literárias; Literatura, produção cultural e modos de vida.

Pedro Emanuel Rosa Grincho Serra

pedrosPedro Serra (1969) possui Mestrado em Estudos Anglo-Portugueses pela Universidade Nova de Lisboa (1994) e Doutoramento em Filologia pela Universidade de Salamanca (1997). Desde 2000, é Professor Associado na Universidade de Salamanca, Departamento de Filologia Moderna, onde lecciona principalmente literatura portuguesa e brasileira. Os seus campos de ensino incluem literatura portuguesa barroca e poesia portuguesa contemporânea. Tradutor para a língua portuguesa do livro seminal de Edward W. Saïd, Orientalismo. Os seus livros mais recentes incluem Estampas del Império. Del barroco a la modernidad tardía en Portugal (2013), Devastación de sílabas (2013) e Imagens Achadas. Documentário, Política e Processos Sociais em Portugal (2014). Coorganizador de Século de Ouro. Antologia Crítica da Poesia Portuguesa do Século XX (2002), e coautor da edição crítica de O Hissope. Poema Herói-cómico de António Dinis da Cruz e Silva, os seus artigos foram publicados em revistas especializadas, como a Colóquio/Letras, Santa Barbara Portuguese Studies, Românica, Remate de Males, Tropelías, Portuguese Literary and Cultural Studies e CLCWeb, entre outros. Desde 2015, é o editor da Revista de Estudios Portugueses y Brasileños. Professor Visitante na Universidade da Califórnia-Santa Barbara durante o Outono de 2001, e na Universidade de Campinas (Unicamp, SP, Brasil) durante o segundo semestre de 2006 e o primeiro semestre de 2013. Investigador, entre outros, do Seminario Discurso Legitimación Memoria (Salamanca), do Centro de Literatura Portuguesa (Coimbra) e do grupo LyraCompoetics (Porto). Coordenador do Grupo de Investigación Reconocido en Estudios Portugueses y Brasileños (Salamanca). Sub-director do Departamento de Filologia Moderna, onde também coordenou o Programa de Doutoramento em Filologia Moderna. Actualmente, coordena o Grado en Estudios Portugueses y Brasileños (Salamanca) e é responsável pela ‘Área de Filología Gallega y Portuguesa’ do Departamento de Filologia Moderna da Universidade de Salamanca.

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Raquel Menezes

Raquel Menezes é Doutora em Literatura Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com tese intitulada Re-ler as Cartas Portuguesas. Mestre pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com Dissertação intitulada O projeto literário Adília Lopes. Nesta mesma instituição, onde também se graduou, criou a revista de literatura e arte pequena morte. É sócia administradora e editora da Oficina Raquel desde 2011 e em 2017 criou o selo Oca, sediado em Portugal. Está em seu segundo mandato como Presidente da Liga Brasileira de Editores – Libre, entidade que reúne mais de 100 editores brasileiros e realiza há 17 anos o evento Primavera Literária.

Grupo de investigação: Intersexualidades

Rita Novas Miranda

ritamRita Novas Miranda desenvolve actualmente o seu doutoramento na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com acolhimento do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, sobre as relações entre imagem e escrita nas obras de Herberto Helder e de Jean-Luc Godard, com uma bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Licenciou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (2007), e é mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (2009), com a dissertação Percursos da Imagem: relações entre imagem poética e imagem cinematográfica em Herberto Helder e Jean-Luc Godard. Programou os ciclos de cinema A Palavra contra a imagem? (2009) e De Pedra onde o cinema se desfaz (2010) na Livraria Trama em Lisboa. Em 2010, integrou a equipa do eixo programático República das Letras, da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (CNCCR). Publicou, entre outros, os artigos “Herberto Helder e Jean-Luc Godard: sobre a visibilidade e a legibilidade das imagens”, in Soldado aos laços das constelações: Herberto Helder, São Paulo, Lumme Editor (2011); “Uma escrita para ver”, in Textos e Pretextos, nº17 (2012); “O Ensaio enquanto gesto: Passion e Scénario du film Passion, de Jean-Luc Godard”, in Atas do III Encontro Anual da AIM (2014); “Mínimo movimento, máxima expressão: sobre Hotel Monterey, de Chantal Akerman”, in ESC:ALA, n.º 1 (2014); “Aurélia Steiner (Vancouver): signer l’image”, in Marguerite Duras: palavras e imagens da insistência, ILCMG (2015). No Instituto de Literatura comparada Margarida Losa, integra o grupo LyraCompoetics e é co-editora da revista electrónica de estudos e práticas interartísticas ESC:ALA. É também colaboradora do Laboratório de Estudos Literários Avançados (FCSH-UNL).

Grupo de Investigação: Intermedialidades

Rosana Cássia Kamita

Grupo de investigação: Intersexualidades

Rui Miguel Mesquita Fernandes da Silva

ruimRui Mesquita (n. Porto, 10/12/1974) é colaborador do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Doutorado no Ramo de Conhecimento em Literatura, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com a tese A Modernidade Romântica: Uma Leitura Comparativa dos Poetas Sophia de Mello Breyner Andresen e John Keats. Áreas de investigação: narratologia; estudos românticos. Publicações: (2008) Apresentação e tradução de Karlheinz Stierle, Existe Uma Linguagem Poética?, seguido de Obra e Intertextualidade, Famalicão, Quasi/Série Quasar; (2008) Verbetes «John Keats» e «Romantismo», para o Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo Português (ed. Fernando Cabral Martins), Lisboa, Caminho (em colaboração com Ana Luísa Amaral); (2013) Tradução de Ernst Bloch, “Perspectiva Filosófica sobre o Romance Policial”, in Ficção Policial: Antologia de Ensaios Teórico-Críticos, Org. Maria de Lurdes Sampaio e Gonçalo Vilas-Boas, Porto, ILCML/Afrontamento, 2013; (2013) “And the Year is Zero: As Histórias Perdidas de GB84, de David Peace”, revista eLyra, #2; (2014) “Como se quatro olhos fossem uma luz: fantasias visuais e integração conceptual em As Ondas e Lucialima” in Cadernos de Literatura Comparada, #29.

Grupo de investigação: Intersexualidades

Simone Pereira Schmidt

Grupo de investigação: Intersexualidades

Tatiana Pequeno da Silva

Grupo de investigação: Intersexualidades

Tiago Montenegro

tmonTiago Montenegro (Porto, 1979) é colaborador do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. É licenciado em Biologia e Geologia (variante ensino) pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e mestrando em Estudos Literários, Culturais e Interartes na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, encontrando-se neste momento a desenvolver a sua tese sobre a relação de Manuel António Pina com o cinema. Membro dinamizador do ILC Viagens, blogue sobre Literatura, Viagens e outras Deslocações e colaborador dos Grupos Intermedialidades e Inter/Transculturalidades do Projecto Estratégico do ILC – Literatura e Fronteiras do Conhecimento: Políticas de Inclusão, assim como da enciclopédia digital Ulyssei@s, sobre escritores e outros criadores em deslocação. Desenvolve a sua actividade profissional como consultor e gestor de empresas.

Grupo de Investigação: Intermedialidades