Seminário Aberto “Flávio de Carvalho e as experiências de um artista midiático avant la lettre”

Resumo: Apresentação da obra e figura de Flávio de Carvalho no modernismo brasileiro destacando a seguir suas intervenções iniciadas ainda com seus primeiros projetos apresentados em concurso no final dos anos 1920. E que se estendem à psicologia das multidões, testando reações de uma procissão (1931), ao lançamento de um traje de verão no centro de São Paulo (1956) e ao contato com uma tribo no Alto Rio Negro (1958).

Rui Moreira Lite foi curador das mostras dedicadas a Flávio de Carvalho pela 17ª. Bienal de São Paulo (1983) e pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo (2010) e consultor da seção Flávio de Carvalho na mostra Desvios de la Deriva no Centro de Arte Reina Sofia, em Madri (2010). É autor do livro Flávio de Carvalho o artista total (2008) e, entre outros do artigo “Flávio de Carvalho: media artist avant la lettre” publicado pela revista internacional Leonardo de artes, ciência e tecnologia em 2004. Tem-se dedicado igualmente aos estudos das relações entre escritores portugueses e brasileiros organizando com Fernando Lemos a antologia A Missão Portuguesa (2003). Casais Monteiro: uma antologia (2012) e Correspondência Casais Monteiro-Ribeiro Couto (2016).

Literatura e Periodismo: Colonização e indianismo no folhetim O Guarani, de José de Alencar

O seminário da Profª Rosana Kamita, intitulado Literatura e Periodismo: Colonização e indianismo no folhetim O Guarani, de José de Alencar, vai ter lugar no próximo dia 11 de outubro, pelas 16h30, na sala do Deper.

Literatura e Feminismo: Clarice Lispector com Rosana Cássia Kamita

Tertúlia: Literatura e Feminismo: Clarice Lispector

Rosana Cássia Kamita (Universidade Federal de Santa Catarina – ILC)

 

 

O feminismo contribuiu para a reavaliação de antigos conceitos, estabeleceu novos posicionamentos em relação aos estereótipos referentes aos temas e gêneros literários, assim como lançou luz às convenções da escrita produzida por mulheres, as quais estão passando a sujeitos da história e da criação literária. Ao atacar a ordem constituída em uma sociedade androcêntrica, contribuiu para o desenvolvimento da literatura de autoria feminina. Atualmente a mulher tem, na maior parte das vezes, livre acesso à literatura, cabe, no entanto, ponderar-se sobre o poder político desse acesso e os espaços ocupados por essa produção literária. A literatura é sempre impulsionada/desafiada a reavaliar seus próprios limites e Clarice Lispector é uma das escritoras a representar esse nível de tensão e instabilidade, quando autoria e representação femininas são repensadas através da própria autora e por seu fazer literário. Assim, objetiva-se pensar nessa dimensão estabelecida  entre feminismo e literatura a partir da contribuição de Clarice Lispector nesse contexto, através de uma leitura crítico-feminista de alguns de seus contos.

 

A entrada é gratuita mas sujeita a inscrição

inscrição: livrariaconfraria@gmail.com

Vagas Limitadas

 

 

eLyra n.º 9: Poesia e tradução

Já se encontra em linha o nono número da revista eLyra subordinada ao título Poesia e tradução.

O número, organizado por Joana Matos Frias, Pablo Simpson e Sofia de Sousa Silva, inclui ensaios de João Barrento, Marcos Siscar, Margarida Vale de Gato, Mauricio Mendonça Cardozo, Paulo Henriques Britto, Izabela Leal, Caetano Waldrigues Galindo, Luís Quintais, Rafaella Dias Fernandez, Beatriz Bastos, Livia Grotto, Cláudia Dias Sampaio, Gabriela Familiar de Abreu Carneiro, Marcus Rogério Salgado, Marta Carraro e Marcus de Martini, poemas de Paloma Vidal e Pedro Marques e traduções de Richard Zenith (comentário de Ana Luísa Amaral), Patrícia Lino, Inês Dias, Beatriz Regina Guimarães Barboza, Regina Przybycien, Hugo Pinto Santos, Josely Vianna Baptista, Rui Carvalho Homem, Ricardo Marques, Ludovica Daddi e Vasco Gato.

Seminário Aberto “Poetas, guerras e testemunhos: uma leitura comparada de Pablo Neruda e Carlos Drummond de Andrade”

O Prof. Doutor Marcelo Ferraz (UFG-Brasil) irá realizar um Seminário Aberto no dia 24 de outubro, às 17h30, na sala 201 (Geral, 2º piso), sobre Pablo Neruda e Carlos Drummond de Andrade.

Entrada livre.

Resumo: As produções poéticas de Carlos Drummond de Andrade e Pablo Neruda ocupam posição de relevo dentro do quadro da lírica latino-americana do século XX, sobretudo no que concerne às complexas relações que suas obras estabeleceram com a história, a sociedade e as lutas políticas e intelectuais que marcaram o período no qual as suas trajetórias se desenvolveram. Apesar de parte da produção desses autores ter assumido um caráter aberto de resistência – isto é, de terem adotado uma estratégia de constituição formal que evidenciava as suas inquietações políticas, rompia com anseios de autonomia estética e firmava uma posição crítica diante dos impasses ideológicos do seu tempo – essas duas poéticas distinguem-se radicalmente no modo como testemunham os horrores do século, suas guerras, tiranias e sufocamentos. Revelam, em última instância, formas opostas de enfrentamento das contradições sociais identificadas em seus textos. Com o intuito de desenvolver e ilustrar essa hipótese de leitura, proponho discutir, neste seminário, alguns poemas em que se manifestam processos definidores destas poéticas e das concepções ético-estéticas que as alicerçam. Serão lidos, em chave comparativa, poemas que tematizam a Batalha de Stalingrado (“Carta a Stalingrado” e “Telegrama de Moscou”, de Drummond, e “Canto de amor a Stalingrado” e “Nuevo canto de amor a Stalingrado”, de Neruda) e a Guerra Civil Espanhola (“España en el corazón”, de Neruda, e “Notícias da Espanha”, de Drummond).

 

Marcelo Ferraz de Paula é professor adjunto da Universidade Federal de Goiás (UFG), onde também atua como membro permanente do quadro de pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística. É doutor em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela USP e atualmente realiza estágio de pós-doutoramento na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, sob a supervisão da professora Dra. Maria de Lurdes Sampaio. É autor do livro Poesia e diálogos numa ilha chamada Brasil, publicado pela Editora da Universidade da Integração Latino-Americana, e organizador da coletânea Ética, estética e políticas do testemunho, pela Editora Nakim.