Colóquio Internacional Viagens e Outros Labirintos

PROGRAMA | Programm | PROGRAMME | PROGRAMME

 

3 de dezembro | 3. Dezember | 3rd December | 3 décembre

Sala | Raum | Room | Salle: Anfiteatro Nobre

8:30 | Secretariado | Anmeldung | Secrétariat | Opening of registration desk

9:00 | Sessão de Abertura | Eröffnung |Ouverture| Opening Session

9:30 | Conferência Plenária | Plenarvortrag | Conférence Plénière | Plenary Session
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: John Greenfield
Jochen Vogt (Univ. Duisburg-Essen) – Going down under full sail – how a labyrinth is wrecked while a murder case remains unsolved. Hans Henny Jahnns novel Das Holzschiff (1949)

Sala | Raum | Room | Salle : Anfiteatro Nobre

10:30 | Sessão A | Session A | Séance A
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Ana Paula Coutinho
Maria Manuela Delille (Univ. Coimbra) – História, Mito e Ficção na novela Don Correa de Gottfried Keller (1881)
Pedro Eiras (Univ. Porto) – O labirinto sem saída

11:20 | Pausa | Kaffeepause | Pause-Café | Coffee Break

Sala | Raum | Room | Salle: Anfiteatro Nobre

11:40 | Sessão B | Session B | Séance B
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Maria de Fátima Outeirinho
Fernando Clara (Univ. Nova de Lisboa) – Espiões, Mentiras e Livros. Literatura de viagens e (des)informa-ção nos anos 30 ou: a vida e os escritos do Dr. Manfred Zapp
Mário Matos (Univ. Minho) – Um meta-viagem com Los autonautas de la cosmopista
Maria Teresa Cortez (Univ. Aveiro) – Como seria, se…? – O motivo da viagem no tempo em Der blaue Siphon (1992) de Urs Widmer
João Veloso (Univ. Porto) – Viagens sem Literatura: As primeiras migrações das primeiras paleolínguas

13:00 | Almoço | Mittagessen | Déjeuner | Lunch

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

14:30 | Sessão C | Session C | Séance C
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Hugh Ridley
Beatrice Sandberg (Univ. Bergen) – Aufstiege und Niedergänge in der Schweizer Literatur. Bergromane abseits der Postkartenidylle
Dariusz Komorowski (Univ. Wrocław) – Matthias Zschokkes literarische Reiseberichte als Ausdruck der Jetztzeit-Relationen.
Inez Müller (Univ. Paderborn) – Reiseimpressionen zwischen Differenz und Transkulturalität in Wolfgang Büschers Ein Frühling in Jerusalem

15:40 | Pausa | Kaffeepause | Pause-Café | Coffee Break

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

16:20 | Sessão D | Session D | Séance D
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair : Maria Manuela Dessille
Orlando Grossegesse (Univ. Minho) – Travelling Feelings. Reflexões a partir de Nachtzug nach Lissabon / Night Train to Lisbon / Comboio nocturno para Lisboa
Maria de Lurdes Godinho (IPLeiria/ ILC) – Viagens vividas, (re)criadas, (re)visitadas. Desassossegos e memórias no feminino e no masculino: visões cruzadas

Cerimónia de entrega da Medalha de Ouro da Faculdade de Letras da Universidade do Porto ao Prof.º Doutor Gonçalo Vilas-Boas
 

4 de dezembro | 4. Dezember | 4th December | 4 décembre

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

9:30 | Sessão E | Session E | Séance E
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Zulmira Santos
Hugh Ridley (Univ. College Dublin) – Without frontiers? Travelling after birds: Bruno Liljefors and Emil Nolde
Maria Hermínia Laurel (Univ. Aveiro) – Les villes du voyage chez quelques écrivains (voyageurs) suisses : Ella Maillart, Anne-Marie Schwarzenbach, Nicolas Bouvier, Lorenzo Pestelli
José Domingues Almeida (Univ. Porto) – Le voyage révélateur dans la littérature de l’immigration de deuxième génération. Le cas des allers-retours interculturels d’écrivains belges d’origine marocaine et turque
Alexandra Moreira da Silva (Univ. Sorbonne Paris 3) – Mythes et survivance des images dans le théâtre contemporain

11:00 | Pausa | Kaffeepause | Pause-Café | Coffee Break

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

11:20 | Sessão F | Session F | Séance F
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Isabel Pires de Lima
Ana Paula Coutinho (Univ. Porto) – «Escrever com a luz» as migrações humanas: Sebastião Salgado, entre ética e estética
Maria de Fátima Outeirinho (Univ. Porto) – Do lugar do(s) mapa(s) na viagem e seu relato
Fátima Vieira (Univ. Porto) – Os Food Studies e as Humanidades Digitais: reflexões metodológicas
Suzan Massoumi (Univ. Porto) – New Flavours in the Book of Duarte Barbosa

12:50 | Almoço | Mittagessen | Déjeuner | Lunch

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

14:30 | Sessão G | Session G | Séance G
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Ana Luísa Amaral
Isabel Pires de Lima (Univ. Porto) – Vaivéns literários hoje: Brasil/Portugal
Maria de Fátima Gil (Univ. Coimbra / CITCEM) – Nos Passos de Magalhães de Gonçalo Cadilhe: viagem, evocação histórica e diálogo intercultural num tempo de globalização
Jorge Bastos da Silva (Univ. Porto) – Algumas Notas mais sobre Ivanhoe no Romantismo Português (em torno de Alfredo Possolo Hogan)
Ana Maria Ramalheira (Univ. Aveiro) – Sebastião, Rei de Portugal [Sebastian, König von Portugal] (1924) de Carl Weisflog: história e mito numa novela romântica “fantástica” ao gosto Biedermeier

16:00 | Pausa | Kaffeepause | Pause-Café | Coffee Break

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

16:20 | Sessão H | Session H | Séance H
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Rosa Maria Martelo
Joana Matos Frias (Univ. Porto) – Quando falo de lugares cidades países/ não são viagens: Visitações de António Franco Alexandre
Manuela Veloso (IPP Porto) – Labirintos identitários na escrita e nos desenhos de Else Lasker-Schüler
Rosa Mesquita (Univ. Porto) – O labirinto – figura de acesso à tessitura poética em Migrações do Fogo, de Manuel Gusmão
Maria António Hörster (Univ. Coimbra) – Tradutores e tradução na lírica portuguesa dos séculos XX e XXI: José Bento, Vasco Graça Moura e Armando Silva Carvalho
 

5 de dezembro | 5. Dezember | 5th December | 5 décembre

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

9:00 | Sessão I | Session I | Séance I
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Jochen Vogt
John Greenfield (Univ. Porto) – Creating a Medieval Spatial Myth: Perception of the Body on the Alischanz Battlefield
Stefan Neuhaus (Univ. Koblenz) – Vagabunden, Touristen und andere Reisende in Romanen von Felicitas Hoppe, Christian Kracht, Helmut Krausser und Juli Zeh
Jan Jambor (Univ. Prešov) – Zur intertextuellen Funktion des Titels Agnes von Peter Stamm
Peter Hanenberg (Univ. Católica Lisboa) – Von Gerechtigkeit und Frieden. Peter Handkes und Maric Bodrožić’s Reisen in die Länder des ehemaligen Jugoslawiens

10:30 | Pausa | Kaffeepause | Pause-Café | Coffee Break

Sala | Raum | Room | Salle: Sala de Reuniões

10:45 | Sessão J | Session J | Séance J
Moderador | Sitzungsleiter | Président de Séance | Chair: Mário Matos
Jorge Deserto (Univ. Porto) – A incerta viagem dos mitos e das mulheres que neles vivem
Maria Antónia Gaspar Teixeira (Univ. Porto) – Albert Vigoleis Thelen: ecos literários de um exílio em Portugal
Rogério Madeira (Univ. Coimbra) – Memória e identidade: a (re)construção da figura do militar nazi na metaficção historiográfica de Uwe Timm e de Marcel Beyer
Teresa Martins de Oliveira (Univ. Porto) – Halbschatten de Uwe Timm e Kiek in die Welt de Marga von Etzdorf

cartaz_GVB. def.

Porto de Encontro com Ana Luísa Amaral

A poetisa Ana Luísa Amaral, membro integrado do ILC e coordenadora científica do grupo de investigação Intersexualidades, é a autora em foco na 40.ª edição do Porto de Encontro, marcada para a Casa das Artes (Porto), no próximo dia 22 de Novembro, domingo, às 17 horas.

Professora associada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Ana Luísa Amaral é autora de uma obra numerosa, publicada em dez países, incluindo França, Colômbia, Itália, México e Suécia. Apesar da predominância da poesia, com duas dezenas de títulos, já publicou ainda para teatro, literatura infanto-juvenil e ficção. Das distinções já recebidas destacam-se o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores e o Prémio Correntes d’Escritas.

Participam ainda na sessão a professora universitária Isabel Pires de Lima e a actriz Emília Silvestre.

Criado em Novembro de 2011, o Porto de Encontro é um ciclo de conversas com escritores promovido pela Porto Editora com o apoio da Antena 1, Jornal de Notícias, Porto Canal, Arcádia e livrarias Bertrand.

A edição deste domingo conta ainda com a colaboração da Direcção Regional de Cultura do Norte.

Emily Dickinson e Luiza Neto Jorge: Quantas Faces?

Já se encontra disponível no ILC o número 12 da colecção Estudos de Literatura Comparada: Emily Dickinson e Luiza Neto Jorge: Quantas Faces? de Marinela Freitas.

Entre Emily Dickinson e Luiza Neto Jorge não há apenas um século de distância: há duas línguas, duas tradições literárias, dois contextos histórico-sociais e duas obras que divergem entre si. Ao mesmo tempo, porém, são surpreendentes as continuidades que se estabelecem entre as duas autoras quando sobre elas se faz incidir um olhar de teor aproximativo. Ambas criam um idioma desviante, que tanto suscita entusiasmo quanto incompreensão. Ambas obrigam à reformulação dos pressupostos crítico-literários tradicionais e à criação de um diferente tipo de público. Ambas – poetas vulcânicas – ameaçam o status quo literário e social com a sua torrente poética, ainda que obliquamente, no caso de Dickinson, e ciclopicamente, no caso de Neto Jorge. Revelando formas singulares de insubordinação, as obras poéticas de Emily Dickinson e de Luiza Neto Jorge contribuem decisivamente para a reconceptualização da categoria de sujeito presente na tradição da Modernidade, através da desestabilização operada pela emergência de uma subjectividade instável (mas) feminina.
Marinela Freitas

Luz Acesa nos Bastidores de Luis Manuel Gaspar

 

Ele próprio autor de uma obra poética breve mas altamente singular, Luis Manuel Gaspar é provavelmente o mais fascinante ilustrador e capista da poesia portuguesa de hoje. A exposição Luz Acesa nos Bastidores, no Palacete dos Viscondes de Balsemão, organizada no âmbito do colóquio internacional Ofício Múltiplo – Poetas em Outras Artes, promovido pelo grupo Intermedialidades do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, é uma rara oportunidade para se lançar um olhar de conjunto a uma obra dispersa por livros de poetas de várias gerações, de António Barahona, António Osório, Manuel António Pina ou Al Berto, a portas mais novos, como José Miguel Silva, Manuel de Freitas, Raquel Nobre Guerra ou Rui Pires Cabral.
Público, 3/11/2015, p. 35

 

“Compreender é associar, para a inteligência não há melhor exercício do que a imagem”, escreveu Jean Epstein. E os trabalhos de Luis Manuel Gaspar dão-lhe certamente razão. Entre a natureza e a máquina, entre o humano e o não humano, certas imagens desta exposição descobrem nexos que se fortalecem do prévio afastamento que vêm desfazer. Encontramos o planisfério terrestre nas manchas da quitina de um artrópode, flores que se humanizam num sexo, seres humanos que adquirem traços de um insecto ou de um crustáceo, uma cabeça que também é uma lâmpada e um olho, tecidos cujas dobras se desfazem em folhagem, rostos que admitem uma visão subcutânea, madeixas de cabelo a lembrarem patas de aranha… Tudo desenhado com o máximo rigor, mas entre uma figuração realista e a transfiguração anti-realista resultante das conexões improváveis que nos são reveladas. Se estas imagens nos parecem “muito lentas”, como disse António Barahona, é porque precisamos de as decompor, de analisá-las a partir das sensações contraditórias que produzem em nós. E nesse exercício revelam-se as palavras que as habitam. Muitos dos desenhos de Luis Manuel Gaspar subentendem as palavras da poesia. Não apenas porque a surpresa que provocam pode resultar de articulações metafóricas, de um tropo que liga dois reinos para produzir um terceiro, mas também porque, em muitos casos, os desenhos se destinaram a acompanhar poemas, ou partiram de textos; e ainda porque, nas pranchas dedicadas a vários poetas, encontramos as imagens que Luis Manuel Gaspar quis que víssemos nos versos reproduzidos, ou a par deles. É um mundo onde as imagens da poesia e as imagens visuais se interpelam mutuamente. Livremente. Um mundo para ver, ler e imaginar. Fluido, delicado, irónico e inquieto. E cheio de gravidade.

ROSA MARIA MARTELO

New Portuguese Letters to the World – International Reception

nplPrivileging feminist approaches, this book maps the reception of New Portuguese Letters in Portugal, Brazil, Angola, Mozambique, the UK, Ireland, the USA, France, Germany, Italy, Spain, and Scandinavia. Written by Maria Teresa Horta, Maria Isabel Barreno and Maria Velho da Costa, and published in 1972, New Portuguese Letters addressed censored issues, such as the colonial war, immigration, the Catholic Church, violence, and the legal and social status of women, becoming a symbol of resistance against the Fascist Portuguese regime. The scandal that surrounded the banning of New Portuguese Letters, under the accusation of ‘pornographic content’, and the trial of the three authors for ‘outraging public morals’, brought the case to the attention of the international community. Immediately translated in several countries, the book found instant support from feminist movements and well-known writers such as Simone de Beauvoir, Marguerite Duras, Doris Lessing, Iris Murdoch, Adrienne Rich or Anne Sexton, being adopted as ‘the first international feminist cause’.

Given its broad meaning in political and aesthetic terms, New Portuguese Letters was – and remains – a fundamental work in contemporary literature and culture, offering an invaluable contribution to the history of women and raising crucial issues relevant for political agendas today, for example, equality, justice and freedom.

Edited by Ana Luísa Amaral, Ana Paula Ferreira e Marinela Freitas.