Cygnus

Presentation

Cygnus é uma coleção de ensaios traduzidos para língua portuguesa e ligados directamente à investigação realizada no Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Trata-se de um projecto editorial que visa concorrer para um dos principais objectivos do nosso trabalho académico: a promoção de um pensamento contemporâneo assente em princípios de inclusão e de interacção. A referência constelar no título desta coleção salienta que o mundo terá sempre o tamanho dos signos que nele reconhecermos.

Prefácio a Cromwell e outros prefácios

Os textos de Victor Hugo que aqui se apresentam não só não escapam ao panorama do discurso prefacial oitocentista, como são dele exemplos emblemáticos, uma vez que enunciam alguns dos mais importantes princípios poético-estéticos que a Modernidade perseguiu e que no século XIX se apresentaram como essenciais ao entendimento diferenciado da criação artística, a ponto de Gautier ter considerado que a juventude romântica estaria «fanatizada» pelo Prefácio de Cromwell e pelo seu autor. Talvez por isto mesmo, eles são precisamente o contra-exemplo do prefácio segundo Brás Cubas-Machado de Assis, conforme se torna notório sobretudo no caso de Cromwell, pois é claro que Victor Hugo se dirige aos seus contemporâneos com um prólogo «explícito e longo», mesmo que não chegue a contrariar o princípio de acordo com o qual, ainda nos termos do escritor brasileiro, «a obra em si mesma é tudo».

Author
Victor Hugo

Translation introduction
Pedro Eiras

Preface
Joana Matos Frias

Publishing House
Edições Afrontamento / Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa

Publication date
November 2017

A Geocrítica: Real, Espaço, Ficção

A geocrítica surge num momento de maturidade dos estudos sobre o espaço em literatura. Deslocando o foco da análise crítica de perspectivas egocentradas, valorizadoras da subjectividade que acompanha a percepção do real para o próprio objecto da percepção, esta metodologia teórico-crítica fomenta abordagens comparatistas de índole interdisciplinar, colocando frente a frente o real e várias formas da sua representação ficcional pelas artes miméticas, dentro as quais a literatura, a pintura e outras artes plásticas. Correspondendo à tendência de um certo retorno ao real que se vinha desenhando desde finais da década de setenta do século XX, e que a pós-modernidade traduz na espacialização do próprio tempo, a geocrítica propõe-se voltar a pensar o referente, no seu confronto com o real, marcado por efeitos de transgressividade entre fronteiras por vezes pouco definidas entre facto e ficção. Geocentrada, rejeitando abordagens etnocêntricas e globalizantes, a geocrítica interroga os espaços intersticiais em que se movem as representações contemporâneas de espaços moventes e heterogéneos que se alargam à dimensão planetária. Propõe então uma nova metodologia operatória valorizadora de abordagens que convocam áreas do saber como a história e a geografia, a filosofia e a psicanálise, a antropologia, a sociologia e a geopolítica, a arquitectura e o urbanismo, conjugadas em processos de legibilidade das representações do real fluído pós-moderno, como formas de conhecimento.

Author
Bertrand Westphal

Translation e introduction
Maria Hermínia Laurel

Publishing House
Edições Afrontamento / Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa

Publication date
June 2017

Pensar o exílio e a migração hoje

capacygnus1_site Os fenómenos migratórios têm atingido proporções inéditas nos últimos tempos e têm suscitado múltiplos discursos e estatísticas que substimam ou simplesmente ignoram a experiência e o percurso do migrante, circunscrevendo-o à polaridade identitária dos lugares de partida e de chegada. Através da evocação de factos recenetes e do apelo a diferentes áreas como a Literatura, a Sociologia, a Antropologia ou a Filosofia, este ensaio propõe uma mudança de paradigma na abordagem da migração, de acordo com as noções de exiliência e antropocena exílica. Porque compreender o migrante como um exilado é reconhecer-lhe um estatuto simultaneamente existêncial e político, primeira premissa para a elaboração de um direito de exílio que resolva a contradição vigente entre mobilidade e exclusão, inclusive em regimes democráticos.

Author
Alexis Nouss

Translation e Introduction
Ana Paula Coutinho

Publishing House
Edições Afrontamento / Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa

Publication date
November 2016