Trainee researchers

PhD

Andreia Joana Oliveira da Silva

Andreia Joana Oliveira da Silva é professora de Português no Departamento de Línguas Estrangeiras Aplicadas da Universidade Jean Monnet, em Saint-Étienne (França). Licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com um período Erasmus na Universitá degli Studi di Perugia (Itália), e Mestre em Línguas e Culturas Estrangeiras especialidade em Estudos Lusófonos pela Université Blaise-Pascal, Clermont II (atualmente Université d’Auvergne). Frequenta o doutoramento em Estudos Literários, Culturais e Interartes na Universidade do Porto onde desenvolve um projeto de tese intitulado Traversées atlantiques – Circulations, échanges et migrations littéraires dans les mondes francophone et lusophone, em cotutela com a Université Jean Monnet, de Saint-Étienne. Foi igualmente professora contratada na Université Sorbonne Nouvelle Paris 3 e na Université Blaise-Pascal, Clermont II, onde foi também bolseira do Programa Grundtvig durante um ano. É atualmente membro do Centre d’Etudes sur les Langues et les Littératures Etrangères et Comparées (CELEC), da Universidade Jean Monnet de Saint-Étienne ; membro da rede panlatina de terminologia REALITER e membro do Conselho Europeu para as Línguas.

Daniel Floquet

Daniel Floquet graduou-se, em 2007, em Letras-Literatura pela Universidade Federal do Ceará, seguindo para a Faculdade de Letras da Universidade do Porto em 2008, onde concluiu o mestrado em Estudos Literários, Culturais e Interartes com a dissertação A Pulverização das Dictomias em Myra, de Maria Velho da Costa. Atualmente é bolseiro de doutoramento da FCT e prepara a sua tese, dedicada às representações da violência nas obras de Maria Velho da Costa e Edna O’Brien, também na FLUP. Possui experiência no magistério como professor de Língua Portuguesa, assumindo as disciplinas de Literatura, Redação, Gramática e Interpretação do Texto. É investigador colaborador do ILCML e do CETAPS.

David Pinho Barros

dpbarrosDavid Pinho Barros é professor e programador de cinema. Nascido no Porto em 1986, é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade do Porto, com um período Erasmus na Université de la Sorbonne Nouvelle em Paris, e mestre em Ciências da Comunicação – Variante de Cinema e Televisão pela Universidade Nova de Lisboa, com uma dissertação sobre o cinema da Nova Vaga Japonesa orientada pelos Professores José Manuel Costa e Alexandra Curvelo. Frequenta, desde 2014, o doutoramento em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos – Variante de Estudos Comparatistas na Universidade do Porto, onde desenvolve um projecto de tese intitulado O Cinema da Linha Clara, em cotutela com a Universidade Católica de Lovaina na Bélgica. É, paralelamente, docente no ensino superior, sendo actualmente assistente convidado na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Desde 2008, tem trabalhado na programação e produção de eventos cinematográficos em Portugal, na Bélgica e no Reino Unido, e ministrado cursos de história e análise de cinema na Alliance Française, em três faculdades da Universidade do Porto, na Universidade do Minho e na Universidade Nova de Lisboa.

Fernando Velasco

Fernando Velasco holds a bachelor in Social Communication (with a major in Audiovisual Studies) and a master in Communication and Culture from the Federal University of Rio de Janeiro. He is currently a PhD student in Literary, Cultural and Interartistic Studies at the University of Porto, where he develops a doctoral research about the late poetry by Herberto Helder. He is a collaborator in the Institute for Comparative Literature Margarida Losa. As a screenwriter, he has authored documentary and fictional pieces in both cinema and television.

Inês Cardoso

Inês Cardoso é doutoranda em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Licenciou-se em Línguas, Literaturas e Culturas e concluiu, em 2016, o Mestrado em Estudos Literários, Culturais e Interartes (Ramo de Estudos Comparatistas e Relações Interculturais) na mesma instituição, com a dissertação intitulada O futuro já ostra que ontem foi há muito tempo: A resistência à globalização em Alberto Pimenta. É investigadora do Instituto de Literatura Comparada Margarida Rosa (Porto) e membro da equipa editorial da revista eletrónica de práticas e estudos interartes ESC:ALA.

Inês Seabra

Inês Seabra Carvalho é investigadora no Instituto de Literatura Comparada (ILC) / Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde se encontra a realizar a dissertação de doutoramento intitulada “Uma Poética da Polifonia – fundamentos éticos e alcance político a intertextualidade em Manuel Gusmão”. É Mestre em Direito, na área de Direito Constitucional, tendo publicado a obra “em defesa da legalidade democrática – o estatuto constitucional do Ministério Público português”. Os seus interesses de investigação compreendem, actualmente as práticas intertextuais e os diálogos intermediais na poesia contemporânea portuguesa e, em especial, as relações estabelecidas entre poesia e política.

Ivana Schneider

Ivana Schneider, brasileira, nascida em Belém do Pará, possui graduação em Letras pela Universidade da Amazónia (2006); concluiu o curso de especialização em Língua Portuguesa: uma abordagem textual pela Universidade Federal do Pará em 2009; e em 2016, terminou o Mestrado em Estudos Comparatistas na FLUL com a dissertação O espaço poético sertanejo e as figuras perfomóáticas em Corpo de Baile de Guimarães Rosa; actualmente está no programa de Doutoramento em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos na FLUP, escrevendo a tese intitulada Abrindo espaço em círculo fechado: a diluição das margens nas obras de Guimarães Rosa e Maria Velho da Costa. 

Lúcia Evangelista

Lúcia Liberato Evangelista é doutoranda em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É membro do Grupo Intermedialidades, do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, e do Aesthetics, Politics and Knowledge Group do Instituto de Filosofia, ambos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É bolseira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia com um projeto intitulado “Alberto Pimenta: intermedialidade, performatividade, profanação”. Na mesma Universidade, tem mestrado em Estudos Literários, Culturais e Interartes com uma dissertação acerca da obra de Adília Lopes (2009-2011). Concluiu a licenciatura em Língua Portuguesa e suas literaturas na Universidade Estadual do Ceará – Brasil.

Pós-doc

Elisabete Ferreira Marques

ILCMLElisabete Marques é doutorada pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma dissertação sobre Maurice Blanchot e Samuel Beckett. Actualmente é investigadora do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (Faculdade de Letras da Universidade do Porto). Publicou dois livros de poesia: Cisco (2014), pela Mariposa Azual, e Animais de Sangue Frio (2017), pela Língua Morta.

Jorge Manuel Costa Lopes

ILCMLDoutorado em Estudos Literários, Culturais e Interatísticos pela FLUP – Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É atualmente membro integrado do ILCML – Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da FLUP. Venceu os prémios Literários Vergílio Ferreira, do Município de Gouveia, e Ensaio/Revelação de 2005 da APE/DGLB. Autor de: Sobre o Riso e o Cómico em Vergílio Ferreira(Âncora, 2014) e As Polémicas de Vergílio Ferreira (Difel, 2010).

Marinela Carvalho Freitas

marinelaMarinela Freitas é investigadora do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, onde atualmente desenvolve um projeto de pós‑doutoramento na área dos Estudos do Pós‑humano, sendo bolseira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).É doutorada em Estudos Anglo‑Americanos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com uma dissertação sobre Emily Dickinson e Luiza Neto Jorge. Tem publicações várias nas áreas da Literatura Comparada, das Literaturas Portuguesa e Norte-Americana, dos Estudos Feministas, da Teoria Queer e dos Estudos da Utopia. É autora de Emily Dickinson e Luiza Neto Jorge: Quantas Faces? (Afrontamento, 2014; Prémio PEN Ensaio, 2016) e co-editora, entre outros, de New Portuguese Letters to the World: International Reception (com Ana Luísa Amaral e Ana Paula Ferreira, Peter Lang, 2015), Novas Cartas Portuguesas Entre Portugal e o Mundo (com Ana Luísa Amaral, D. Quixote, 2014) e Utopia Matters (com Fátima Vieira, UPorto, 2005). Colaborou ainda como investigadora no Dicionário da Crítica Feminista (Afrontamento, 2004) e na edição anotada de Novas Cartas Portuguesas (2010, Dom Quixote). É membro do projeto de investigação transdisciplinar “Utopia, Alimentação e Futuro: o modo de pensar utópico e a construção de sociedades inclusivas – um contributo das Humanidades”, financiando pela FCT.

Áreas de investigação (palavras-chave): Poéticas Comparadas, Estudos do Pós-humano, Literatura e Ciência, Estudos Feministas e Teoria Queer, Poesia Portuguesa (séc. XX), Poesia Norte-Americana (séc. XIX), Utopia e Género

mcfreitas@letras.up.pt

Grupo de investigação: Intersexualidades