New titles from the Comparative Literature Studies collection

ILCML
O murmúrio das imagens I. Poéticas de Evidência

ILCMLA indefinição semântica que a palavra portuguesa «imagem» agencia quando equacionada verbalmente é tão remota quanto a própria associação de Poesia e Imagem, estabelecida na Antiguidade, pois o complicado posicionamento da visão entre as esferas do Sensível e do Inteligível impediu que por longos séculos na cultura ocidental se distinguissem os meios de construção de um analogon do discurso com o referente face aos meios de criação de um analogon dentro do próprio discurso. Este estudo visa apresentar uma ponderada reconstituição teórica desse complexo vínculo entre Poesia e Imagem, com as tensões históricas e as contradições tipológicas que tal relação sempre suscitou: trata-se assim de uma abordagem na qual necessariamente se cruzam os domínios elementares da Retórica, da Poética e da Estética, com vista a uma reflexão transdisciplinar que não se escusa mesmo a uma certa indisciplinaridade.

Author
Joana Matos Frias

Publisher
Afrontamento

Date
December, 2018

 

O murmúrio das imagens II. Modos de ver (em) Ruy Cinatti

ILCMLNo panorama multifacetado da poesia portuguesa do século XX, a obra de Ruy Cinatti representa uma súmula muito invulgar de todas as faces da ligação ancestral entre Poesia e Imagem: nela, a evidência vai das coisas às palavras, ou do mundo à linguagem, em consonância com um princípio fenomenológico, mas vai também das palavras às coisas, de acordo com um princípio poético, das palavras às palavras, obedecendo a um princípio retórico, e das palavras às imagens (ou destas àquelas), graças a um princípio intermedial. A imagem falante de Ruy Cinatti é assim mimese ou efeito de real, mas é também imagem autónoma, que dá a ver, já não o visível, mas o apenas visualizável. E é esta paridade que lhe permite ser fiel, simultaneamente, ao mundo e à poesia, observando assim uma responsabilidade ética sem prejuízo da finalidade estética essencial da obra.

Author
Joana Matos Frias

Publisher
Afrontamento

Date
December, 2018

 

De passagem: artistas de língua alemã no exílio português

ILCMLNos últimos anos e na esteira dos Estudos de Memória, que remontam já aos anos 80, tem-se verificado um interesse acrescido por textos da memória cultural, com especial enfoque em documentos sobre o eu. Com esta abordagem memoria- lista se cruzam as perspetivas multi, inter e transdisciplinares, privilegiando a importância a conferir a experiências de fronteira (políticas, territoriais, linguísticas e estéticas) que a vivência exílica e as suas manifestações artísticas representam. De facto, um olhar sobre os espaços “entre” trouxe um outro interesse à questão das rotas do exílio enquanto espaço de experiência cultural, que se têm tornado (também elas) alvo de novas investigações críticas e de correspondentes alargamentos semânticos.
Portugal como rota de exílio ganhou, assim, um novo significado que esteve na origem dos textos que este volume congrega. Com ele se pretende dar visibilidade a artistas de língua alemã que viveram o seu exílio em Portugal ou que por aqui passaram – alguns caídos no esquecimento – e um novo enfoque às suas obras, revisitando ou (re)descobrindo não apenas textos literários, mas também outras formas artísticas

Authors
Teresa Martins de Oliveira e Maria Antónia Gaspar Teixeira

Publisher
Afrontamento

Date
December, 2018

Cartas selectas de Werther. Traduzidas do Francez

ILCMLDie Leiden des jungen Werthers, romance epistolar do jovem Goethe que constituiu o primeiro best-seller no mercado livreiro alemão, obteve – tanto no país de origem como em grande parte do espaço europeu – um intenso e controverso acolhimento logo após ter sido publicada a primeira versão (1774). Em Portugal, apesar da forte presença de mecanismos de resistência, o interesse por essa obra não foi tão tardio e escasso como se supunha. Existe na Torre do Tombo o manuscrito de uma primeira versão portuguesa do romance, inédita, proibida pela censura em 1799. A presente publicação de Cartas Selectas de Werther. Traduzidas do Francez, com um estudo sobre o ambiente cultural e literário que se vivia entre nós por finais do século XVIII, bem como sobre a própria tradução, propõe uma necessária revisão cronológica do processo rececional da narrativa goethiana no nosso país, retirando à tradução de 1821, já conhecida, o estatuto de primeira tradução portuguesa do romance alemão.

 

Author
Maria Antónia Gaspar Teixeira

Publisher
Afrontamento

Date
December, 2018

Modos de ver, modos de escrever. Da imagem e da escrita em Herberto Helder e em Jean-Luc Godard

ILCMLEncontrar Herberto Helder e Jean-Luc Godard sob um mesmo título pode causar, de repente, uma estranha reação… O que têm em comum um poeta português e um cineasta franco-suíço? Num primeiro momento, a resposta pode parecer simples. Os dois autores propõem uma reflexão e uma prática artística que não cessam de inquirir as outras artes, existindo em Helder uma inequívoca aproximação ao cinema e em Godard uma não menos incisiva aproximação à poesia. É este paralelismo disjuntivo que estará aqui em causa: de que modo Helder trabalha e pensa o cinematográfico? De que modo Godard trabalha e pensa o poético? E que cruzamentos engendram, então, estas duas perspetivas?

Author
Rita Novas Miranda

Publisher
Afrontamento

Date
December, 2018