Novos títulos da colecção Estudos de Literatura Comparada

ILCML
O murmúrio das imagens I. Poéticas de Evidência

ILCMLA indefinição semântica que a palavra portuguesa «imagem» agencia quando equacionada verbalmente é tão remota quanto a própria associação de Poesia e Imagem, estabelecida na Antiguidade, pois o complicado posicionamento da visão entre as esferas do Sensível e do Inteligível impediu que por longos séculos na cultura ocidental se distinguissem os meios de construção de um analogon do discurso com o referente face aos meios de criação de um analogon dentro do próprio discurso. Este estudo visa apresentar uma ponderada reconstituição teórica desse complexo vínculo entre Poesia e Imagem, com as tensões históricas e as contradições tipológicas que tal relação sempre suscitou: trata-se assim de uma abordagem na qual necessariamente se cruzam os domínios elementares da Retórica, da Poética e da Estética, com vista a uma reflexão transdisciplinar que não se escusa mesmo a uma certa indisciplinaridade.

 

Autora
Joana Matos Frias

Editora
Afrontamento

Data de publicação
Dezembro de 2018

 

O murmúrio das imagens II. Modos de ver (em) Ruy Cinatti

ILCMLNo panorama multifacetado da poesia portuguesa do século XX, a obra de Ruy Cinatti representa uma súmula muito invulgar de todas as faces da ligação ancestral entre Poesia e Imagem: nela, a evidência vai das coisas às palavras, ou do mundo à linguagem, em consonância com um princípio fenomenológico, mas vai também das palavras às coisas, de acordo com um princípio poético, das palavras às palavras, obedecendo a um princípio retórico, e das palavras às imagens (ou destas àquelas), graças a um princípio intermedial. A imagem falante de Ruy Cinatti é assim mimese ou efeito de real, mas é também imagem autónoma, que dá a ver, já não o visível, mas o apenas visualizável. E é esta paridade que lhe permite ser fiel, simultaneamente, ao mundo e à poesia, observando assim uma responsabilidade ética sem prejuízo da finalidade estética essencial da obra.

Autora
Joana Matos Frias

Editora
Afrontamento

Data de publicação
Dezembro de 2018

 

De passagem: artistas de língua alemã no exílio português

ILCMLNos últimos anos e na esteira dos Estudos de Memória, que remontam já aos anos 80, tem-se verificado um interesse acrescido por textos da memória cultural, com especial enfoque em documentos sobre o eu. Com esta abordagem memoria- lista se cruzam as perspetivas multi, inter e transdisciplinares, privilegiando a importância a conferir a experiências de fronteira (políticas, territoriais, linguísticas e estéticas) que a vivência exílica e as suas manifestações artísticas representam. De facto, um olhar sobre os espaços “entre” trouxe um outro interesse à questão das rotas do exílio enquanto espaço de experiência cultural, que se têm tornado (também elas) alvo de novas investigações críticas e de correspondentes alargamentos semânticos.
Portugal como rota de exílio ganhou, assim, um novo significado que esteve na origem dos textos que este volume congrega. Com ele se pretende dar visibilidade a artistas de língua alemã que viveram o seu exílio em Portugal ou que por aqui passaram – alguns caídos no esquecimento – e um novo enfoque às suas obras, revisitando ou (re)descobrindo não apenas textos literários, mas também outras formas artísticas.

Autoras
Teresa Martins de Oliveira e Maria Antónia Gaspar Teixeira

Editora
Afrontamento

Data de publicação
Dezembro de 2018

 

Cartas selectas de Werther. Traduzidas do Francez

ILCMLDie Leiden des jungen Werthers, romance epistolar do jovem Goethe que constituiu o primeiro best-seller no mercado livreiro alemão, obteve – tanto no país de origem como em grande parte do espaço europeu – um intenso e controverso acolhimento logo após ter sido publicada a primeira versão (1774). Em Portugal, apesar da forte presença de mecanismos de resistência, o interesse por essa obra não foi tão tardio e escasso como se supunha. Existe na Torre do Tombo o manuscrito de uma primeira versão portuguesa do romance, inédita, proibida pela censura em 1799. A presente publicação de Cartas Selectas de Werther. Traduzidas do Francez, com um estudo sobre o ambiente cultural e literário que se vivia entre nós por finais do século XVIII, bem como sobre a própria tradução, propõe uma necessária revisão cronológica do processo rececional da narrativa goethiana no nosso país, retirando à tradução de 1821, já conhecida, o estatuto de primeira tradução portuguesa do romance alemão.

 

Autora
Maria Antónia Gaspar Teixeira

Editora
Afrontamento

Data de publicação
Dezembro de 2018

 

Modos de ver, modos de escrever. Da imagem e da escrita em Herberto Helder e em Jean-Luc Godard

ILCMLEncontrar Herberto Helder e Jean-Luc Godard sob um mesmo título pode causar, de repente, uma estranha reação… O que têm em comum um poeta português e um cineasta franco-suíço? Num primeiro momento, a resposta pode parecer simples. Os dois autores propõem uma reflexão e uma prática artística que não cessam de inquirir as outras artes, existindo em Helder uma inequívoca aproximação ao cinema e em Godard uma não menos incisiva aproximação à poesia. É este paralelismo disjuntivo que estará aqui em causa: de que modo Helder trabalha e pensa o cinematográfico? De que modo Godard trabalha e pensa o poético? E que cruzamentos engendram, então, estas duas perspetivas?

Autora
Rita Novas Miranda

Editora
Afrontamento

Data de publicação
Dezembro de 2018