Adverse Strategies for Graphic Narrative

hamnin

A LETTER TO FERNANDO PESSOA

The reason why I am writing to you, a dead man since 1935, is because among all the 7 billion alive, I cannot conceive a single soul except you who could possibly comprehend this particular matter I simply cannot dispel: Adverse Strategies.

Taking advantage of your position, which is confined to listening, I will proceed without providing further reasons why I pinpointed you as the ‘forced interlocutor’. However, I do believe you will eventually understand why once you finish reading this.

Recently, I read a book labeling your writings as ‘adverse genres’. The author argues that you founded your heteronym project based on adverse genres, part of a paradoxical juxtaposition whereby poetic genres selected from different historical periods in the Western tradition are filled with an incongruent and inauthentic content, subverting the familiarity of generic expression2. Do you agree? Or, before that, do you agree with the word “heteronym project”? If yes, assuming that an intelligent project may involve tactics or strategies3, do you think writers, in general, possess strategies at all?

 

“Prémio Internazionale Fondazione Roma” atribuído a Ana Luísa Amaral

Ana_luisa_site

Ritratti di Poesia 2018

Foi atribuído à poetisa Ana Luísa Amaral (professora aposentada da FLUP e membro da Direção do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa) o Premio Internazionale Fondazione Roma: Ritratti di Poesia 2018 pelo conjunto da sua obra poética.

O Premio Fondazione Terzo Pilastro – Ritratti di Poesia surgiu em 2006, pelo Prof. Avv. Emmanuele F. M. Emanuele, Presidente da Fondazione Roma, com o objetivo de promover a poesia contemporânea italiana e internacional.

A cerimónia de entrega do prémio decorrerá no dia 9 de fevereiro, na Camera di Commercio di Roma (Itália).

Mais informações sobre o evento aqui.

“Arder a Palavra e outros incêndios”, de Ana Luísa Amaral

cof

«Neste primeiro grupo de ensaios, não irei tanto oferecer respostas quanto levantar hipóteses e questões que se prendem com os estudos feministas e a teoria queer, as relações entre género, sexo e sexualidades e conceitos como o corpo e a construção (e desconstrução) de identidades. O que me interessa é tentar entender como estas novas problematizações relativas à questão das identidades e do corpo são produtivas do ponto de vista literário, particularmente no que se refere ao fenómeno poético. São dois os problemas que aqui enunciarei: até que ponto podemos falar de uma identidade de mulher no texto poético; não será o poético (no sentido lato do termo) o espaço privilegiado para discutir a não-existência de uma identidade estável e, portanto, a metamorfose, sempre? Para desenvolver estas ideias, necessito, porém, de falar um pouco da evolução (e convivência hoje) de feminismos e da teoria queer, que se constituem numa relação crítica com uma série de novas formações e novas molduras sociais e culturais.»

Em «Dos Estudos Feministas à Teoria Queer: Algumas Reflexões»

eLyra n.º 10: Poesia e Performance

cover_ eLyra#10

Já se encontra em linha o décimo número da revista eLyra subordinada ao título Poesia e Performance.

O número, organizado por Leonardo Gandolfi e Luciana di Leone, contém uma secção intitulada modos de performar com a participação de Sónia Baptista, Chacal, Marília Garcia, Carlos Augusto Lima, Roy David Frankel, Bruna Beber e Tatiana Pequeno, artigos de Alexandre Nodari, Danilo Bueno, Annita Costa Malufe, Sílvio Ferraz, Lívia Bertges, Natália Salomé de Sousa, Vinícius Pereira, Danielle Grace de Almeida, Alexandre Costa, Rafaela Scardino, Deyse dos Santos Moreira, Fábio Leonel de Paiva, Tiago Cfer, Inês Cardoso, Mariana Patrício Fernandes e Lígia Souza de Oliveira e resenhas de Carolina Anglada e Danilo Diógenes.

 

Cadernos de Literatura Comparada #37

ILC_Cadernos_capa_37_site

Já se encontra em linha o número 37 dos Cadernos de Literatura Comparada, com o tema “Interdisciplinaridades”.

Este volume é organizado por Maria Clara Paulino, Maria Hermínia Laurel e Teresa Martins de Oliveira.