Integrados

Ana Luísa Amaral

ILCML
Ana Luísa Amaral é autora de mais de três dezenas de livros, de poesia, teatro, ficção, infanto-juvenis e de ensaio, traduzidos e editados em inúmeros países. Traduziu poetas como Emily Dickinson, William Shakespeare ou Louise Glück. Obteve várias distinções e prémios em Portugal e no estrangeiro, como o Prémio Literário Correntes d’Escritas, o Premio de Poesía Fondazione Roma, o Grande Prémio de Poesia da APE, o Premio PEN de Narrativa, o Prémio Leteo, ou o Prémio Vergílio Ferreira. Tem, com Luís Caetano, um programa de rádio semanal na Antena 2 sobre poesia, O som que os versos fazem ao abrir. É professora aposentada da Universidade do Porto e membro do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, onde coordenou vários projectos internacionais e linhas de investigação.

Categoria: Professora associada aposentada

Principais áreas de investigação: 

  • Estudos Feministas;
  • Estudos de Género;
  • Poéticas Comparadas;
  • Estudos Queer

Grupo de investigação: Intersexualidades e Intermedialidades

ORCID: 0000-0002-2922-0811

CIÊNCIA ID: 5211-923F-2ED0 

Publicações/Artigos: 

É autora de mais de duas dezenas de livros, quer de poesia (como Minha Senhora de Quê, 1990, Coisas de Partir, 1993, Às Vezes o Paraíso, 1998, Imagens, 2000, Imagias, 2002, A Génese do Amor, 2005, Entre dois rios e outras noites, 2007, Inversos, Poesia 1990-2010, 2010, ou Vozes, 2011), quer de teatro (Próspero morreu, 2011), quer infantis (como Gaspar, o Dedo Diferente, 1998, A História da Aranha Leopoldina, 2011, A Tempestade, 2012, ou Como Tu, 2013), quer de ficção Ara (Sextante, 2013). As suas obras mais recentes são Escuro (Assírio & Alvim, 2014), E Todavia (Assírio & Alvim, 2015), ou 31 Sonetos de William Shakespeare (Relógio D’Água, 2015).

Ana Margarida Fonseca

fotografia Ana Fonseca

Ana Margarida Fonseca é mestre e doutora em Literatura Comparada pela Universidade de Lisboa. Professora coordenadora no Instituto Politécnico da Guarda. Membro integrado do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (FLUP) e membro colaborador do Centro de Estudos Comparatistas (FLUL) e da Unidade para o Desenvolvimento do Interior (IPG). Para além de artigos incluídos em revistas, obras coletivas e livros de atas de âmbito nacional e internacional, é autora de Projectos de Encostar Mundos. Referencialidade e Representação na Literatura Angolana e Moçambicana dos Anos 80 (Prémio Revelação da APE – Ensaio Literário, Difel, 2002) e de Percursos da Identidade. Representações da Nação na Literatura Pós-Colonial de Língua Portuguesa (Fundação Calouste Gulbenkian /FCT, 2012). Os seus interesses de investigação centram-se nas literaturas portuguesa, angolana e moçambicana dos séculos XX e XXI, em particular no que diz respeito às questões da identidade e memória e pós-colonialidade.

Categoria: Professora coordenadora

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

E-mail: anafonseca@ipg.pt

ORCID: 0000-0002-4730-9641

Ana Paula Coutinho

Professora associada do Departamento de Estudos Portugueses e Românicos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde tem lecionado sobretudo nas áreas da Literatura Comparada e dos Estudos Franceses. Doutorada em Literatura Comparada (1998) e com Agregação em Literaturas e Culturas Românicas (2010), sempre se dedicou à literatura contemporânea numa perspectiva comparatista, tendo nos últimos anos desenvolvido particular investigação no domínio das interculturalidades e das representações literárias e artísticas das migrações e do exílio. Integrou vários anos a Direcção do Instituto de Literatura Comparada (2001-2003; 2012-2015; 2015…) e é actualmente a sua Coordenadora Científica. Coordena igualmente a base digital Ulyssei@s. Membro colaborador do CRIMIC (Université Paris IV), colabora ainda com o Programa Non-Lieux de l’Exil (Collège d’Études Mondiales – FMSH). É vice-presidente da Alliance Française do Porto. Tem vários artigos publicados em revistas e outras publicações colectivas, nacionais e estrangeiras (Colóquio/Letras, Cadernos de Literatura Comparada, Revue de Littérature Comparée, Diogène, Gávea-Brown, Carnets, Latitudes: Cahiers Lusophones, Intercâmbio…). Dos livros publicados ou editados, destacam-se António Ramos Rosa. Mediação Crítica e Criação Poética (Quasi Edições, 2003. Prémio Ensaio Pen-Club); Lentes Bifocais – Representações literárias da Diáspora Portuguesa (Afrontamento, 2009), Passages et Naufrages migrants. Les fictions du détroit (com Maria de Fátima Outeirinho e José Domingues de Almeida), Paris, Harmattan, 2012; Nos & leurs Afriques. Images identitaires et regards croisés Constructions littéraires fictionnelles des identités africaines cinquante ans après les décolonisations (com Maria de Fátima Outeirinho e José Domingues de Almeida) Frankfurt, Berlin, Peter Lang, 2013; Marguerite Duras. Palavras e Imagens da Insistência, ILCML, Colecção Libretos, 2015.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades e Intermedialidades

ORCID: 0000-0002-5847-5047

CIÊNCIA ID: 2E13-CC7B-FD16

David Pinho Barros

Fotografiadeperfil2David Pinho Barros (Porto, 1986) é professor, investigador, programador de cinema e argumentista de banda desenhada. É licenciado em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade do Porto, mestre em Ciências da Comunicação — Variante de Cinema e Televisão pela Universidade Nova de Lisboa, com uma dissertação sobre o cinema da Nova Vaga Japonesa, doutor em Literatura pela KU Leuven e doutor em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos — Variante de Estudos Comparatistas pela Universidade do Porto, com uma tese elaborada em cotutela entre as duas instituições e intitulada The Clear Line in Comics and Cinema: A Transmedial Approach. É, actualmente, professor auxiliar convidado na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa e na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Desde 2008, tem trabalhado na programação e produção de eventos cinematográficos em Portugal, na Bélgica e no Reino Unido, e dado aulas de história e análise de cinema e de banda desenhada na Alliance Française, na Universidade do Porto, na Universidade do Minho, na Universidade Nova de Lisboa e na Universidade Católica Portuguesa. Recentemente, publicou a sua primeira banda desenhada, Mylodon, produzida em colaboração com o ilustrador australiano Bren Luke.

Categoria: Professor Auxiliar Convidado

Principais áreas de investigação:

  • Estudos cinematográficos;
  • Estudos de banda desenhada;
  • Estudos intermediais.

Grupo de investigação: Intermedialidades

E-mail: dbarros@letras.up.pt

ORCID: http://orcid.org/0000-0003-1186-7147

CIÊNCIA ID: 1E15-2970-D956

Publicações/Artigos:

  • Pinho Barros, David & Crucifix, Benoît (2019). Bande dessinée et cinema: Arts parallèles ou entrecroisés ?. In Finzo & Deloignon, Olivier
 (Eds.). Bande annonce (cinéma et bande dessinée). Strasbourg: —zeug, 49-57.
  • Pinho Barros, David & Reyns-Chikuma, Chris (2018). Lewis Trondheim, un artiste-orchestre dans le monde de la bande dessinée. Image [&] Narrative (vol. 19, no 3), 1-15.
  • Pinho Barros, David (2018). La ligne claire perpétuée par (À Suivre). In Meesters, Gert & Lesage, Sylvain (Eds.). (À
 Suivre) : Archives d’une revue culte. Tours: Presses universitaires François-Rabelais, 201-220.
  • Pinho Barros, David (2016). Cogumelo pequeno, cogumelo grande: Proporção e relativismo no apocalipse de L’Étoile
 mystérieuseMateriais para o Fim do Mundo, 6, Porto: Instituto de Literatura Comparada Margarida
 Losa, 5-16.
  • Pinho Barros, David (2016). Light and Colour in the Nuberu Bagu Japanese Cinema. Bulletin of Portuguese/Japanese Studies, 1. Lisbon: Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar.

Diana Pimentel

diana_pimentelDiana Pimentel (Lisboa, 1972), doutorada em Letras, é professora auxiliar na Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade da Madeira, crítica literária e ensaísta. Elaborou, com Daniel Oliveira e Raquel Gonçalves, a investigação, selecção, transcrição e revisão do livro de Herberto Helder em minúsculas, Porto, Porto Editora, 2018. Publicou fogo forte e silêncio – ensaios sobre literatura portuguesa contemporânea, Rio de Janeiro, Editora Oficina Raquel, 2017; ca-ir.ao/centro. sobre herberto helder, Edições Guilhotina / UMa-CIERL, edição apoiada pela FCT, 2016; Ver a Voz, Ler o Rosto – uma polaróide de Herberto Helder, Porto, Campo das Letras, 2007; e, em co-autoria com Luis Maffei (selecção e organização), Até que. Herberto. Lisboa, Edições Guilhotina / UMa-CIERL, edição apoiada pela FCT, 2016.
Tem colaborado nas revistas Colóquio/Letras (desde 1996; Fundação Calouste Gulbenkian), Relâmpago (Fundação Luís Miguel Nava), Revista de Estudos Literários (Centro de Língua Portuguesa da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra) ou International Journal Of Arts & Sciences Proceedings (IJAS) e é autora de capítulos nos livros Desenhos em volta de Os Passos de Herberto Helder, de Mariana Viana, Lisboa, Edição Imprensa Nacional – Casa da Moeda / Abysmo, 2018; Se eu quisesse enlouquecia, organizado por Catherine Dumas, Daniel Rodrigues e Ilda Mendes, Rio de Janeiro, Editora Oficina Raquel, 2015; Literatura Explicativa – ensaios sobre Ruy Belo, organizado por Manaíra Aires Athayde, Lisboa, Assírio & Alvim / Porto Editora (edição apoiada pela Fundação Calouste Gulbenkian), 2015; Avanços em Literatura e Cultura Portuguesas, Santiago de Compostela-Faro, Através Editora, 2012, entre outros.
Categoria: Professora Auxiliar

Grupo de investigação: Intermedialidades

E-mail: pimentel.d@gmail.com

ORCID: 0000-0002-1315-9219

CIÊNCIA ID: 8F1F-AFD9-5230

Publicações/Artigos: 

  • fogo forte e silêncio – ensaios sobre literatura portuguesa contemporânea, Rio de Janeiro, Editora Oficina Raquel, 2017;
  • Até que. Herberto. Lisboa, Edições Guilhotina / UMa-CIERL, 2016.

Elisabete Marques

ILCMLElisabete Marques é poeta e investigadora no Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (Faculdade de Letras da Universidade do Porto) e Universidade de Harvard. Enquanto investigadora, está a desenvolver um projecto financiado pela FCT (SFRH/BPD/115342/2016) sobre as relações entre Literatura e Cinema. É co-editora do livro Estética e Política entre as artes (Edições 70). Faz parte das equipas das revistas Textos e Pretextos e Esc:ala. Foi co-organizadora do seminário Escrita e Imagem, decorrido na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e curadora do ciclo O Cinema e as outras artes, no Teatro do Campo Alegre, no Porto. Participa regularmente em colóquios internacionais. Tem vários textos publicados sobre cinema, literatura e intermedialidade, bem como livros de poesia. É doutorada pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma dissertação sobre Maurice Blanchot e Samuel Beckett.

Grupo de investigação: Intermedialidades

CIÊNCIA ID: C514-8979-B5A5

Gonçalo Vilas-Boas

ILCMLGonçalo Vilas-Boas é professor catedrático jubilado, na área de literatura de expressão alemã na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Foi Coordenador Científico do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Escreveu vários artigos sobre autores de língua alemã, como Robert Walser, Franz Kafka, Annemarie Schwarzenbach, Max Frisch, Friedrich Dürrenmatt, Patrick Süskind, Erika e Klaus Mann, Hugo Loetscher, Christian Kracht, Lukas Bärfuss, Peter Stamm, Antje Rávic Strubel. As suas áreas de investigação têm sido a literatura suíça de expressão alemã desde 1900, o labirinto minóico, a literatura de viagens a partir de 1900 centrando-se no Irão e o Médio Oriente em textos europeus escritos em diferentes línguas. Tem também trabalhado sobre o romance policial de língua alemã. Tem, igualmente, estudado o teatro sueco, sobretudo August Strindberg. Publicou, entre outros, vários livros com textos de e sobre Annemarie Schwarzenbach. Organizou uma antologia do conto suíço (Histórias de Encontros e desencontros, Porto, Afrontamento, 1991) e outra do conto nórdico (A Luz que Vem do Norte, Porto, Afrontamento, 2004). Editou o livro Literatura Alemã III, da Universidade Aberta. Mais recentemente publicou Viagens pela Literatura Suíça. Ensaios.

Categoria: Professor catedrático jubilado

Principais áreas de investigação:

  • Ficção de língua alemã a partir de 1900;
  • Literatura de viagens;
  • Literatura policial;
  • Mitos: textos sobre o labirinto.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

E-mailgoncalovb@letras.up.pt

ORCIDhttps://orcid.org/0000-0002-4181-7346

CIÊNCIA ID: A612-C169-A08D

Publicações/artigos:

  • Gonçalo Vilas-Boas (2020), “Wie man jüdisch-orthodoxe Traditionen hinter sich lässt. Thomas Meyers Roman Wolkenbruchs wunderliche Reise in die arme einer Schickse“, in Dorota Sośnicka (Hg.), Tabuzonen und Tabubrüche in der Deutschschweizer Literatur, Göttingen, Vandenhoeck & Ruprecht, p. 267-274.
  • Gonçalo Vilas-Boas (2018), Viagens pela literatura suíça. Ensaios, Porto, Afrontamento/ILC.
  • Gonçalo Vilas-Boas (2018), “Zeigtenossenschaft in Kriminalromanen: weibliche Perspektiven von Verena Wyss und Petra Ivanov“, in Linda Larlsson Hammarfelt, Edgar Platen, Petra Platen (Hg.), Erzählem von Zeitgenossensc haft, Munique, ludicium Verlag, p. 168-181.
  • Gonçalo Vilas-Boas (2016),  Revisitar Annemarie Schwarzenbach, Porto, Afrontamento/ILC.
  • Gonçalo Vilas-Boas (2016) „Friedrich Dürrenmatts Minotaurus. Eine Ballade”, in Dragoş Carasevici/ Alexandra Chiriac (Hg.), Friedrich Dürrenmatt. Rezeption im Lichte der Interdisziplinarität, Iaşi/Konstanz, Editura Universităţii „Alexandru Ioan Cuza“/ Hartung-Gorre Verlag, p.73-87.

Isabel Pires de Lima

ILCMLIsabel Pires de Lima é Professora Emérita da Universidade do Porto. Professora Catedrática Aposentada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Investigadora do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (Unidade I&D da FCT). Professora convidada em Universidades europeias, africanas, americanas e asiáticas. Doutorada em Literatura Portuguesa com a tese As Máscaras do Desengano – para uma leitura sociológica de ‘Os Maias’ de Eça de Queirós (1987); especialista em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea e em estudos queirosianos com dezenas de títulos publicados; trabalha ainda em Estudos Interartísticos e em Literaturas Comparadas em Língua Portuguesa. Promotora de inúmeros colóquios e congressos nacionais e internacionais. Deputada à Assembleia da República Portuguesa (1999-2005/2008-2009). Ministra da Cultura de Portugal (2005-2008). Vice-Presidente do Conselho de Administração da Fundação de Serralves para o triénio 2006-8. Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades Intermedialidades

ORCID: 0000-0002-4127-4329

CIÊNCIA ID: 0C13-3D2A-DE25

Joana Matos Frias

Joana Matos Frias - ILCMLJoana Matos Frias (n. 1973) ensina na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, é coordenadora do Grupo Intermedialidades do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa e membro da Direcção da Sociedade Portuguesa de Retórica. A sua actividade crítica incide sobre as poesias portuguesa e brasileira modernas e contemporâneas, numa perspectiva preponderantemente interartística. É autora dos livros de ensaios O Erro de Hamlet: Poesia e Dialéctica em Murilo Mendes (2001, Prémio de Ensaio Murilo Mendes), Repto, Rapto (2014), Cinefilia e Cinefobia no Modernismo Português (2014), e O Murmúrio das Imagens (2 vols., 2018, Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho/ APE).

Categoria: Professora Auxiliar

Principais áreas de investigação:

  • Poesia portuguesa moderna e contemporânea;
  • Poesia brasileira moderna e contemporânea;
  • Estudos interartes;
  • Literatura e intermedialidade;
  • Poética e retórica.

Grupo de investigação: Intermedialidades

E-mail: jfrias@letras.up.pt

ORCID: http://orcid.org/0000-0001-5531-8436

CIÊNCIA ID: 1A13-6139-384D

Publicações/Artigos:

  • O Murmúrio das Imagens, 2 vols. (vol. I: Poéticas da evidência, 223 pp.; vol. II: Modos de ver [em] Ruy Cinatti, 386 pp.), Porto, Afrontamento, 2018.
  • Passagens: Poesia, Artes Plásticas, sel. e introd., Lisboa, Assírio & Alvim, Lisboa, 2016.
  • «Ele viu as palavras desfocadas: Os campos visuais de Nuno Guimarães», in A Mão mais Inundada: Ensaios sobre Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea, org. Silvana Pessoa e Wagner Moreira, Rio de Janeiro, Oficina Raquel, 2018, pp. 80-114.
  • «Faceless books: algumas notas», 2I: Revista de Estudos de Identidade e Intermedialidade, vol. 1, nº especial Identidade e Retrato: Novos Paradigmas | Novos Media, org. Eunice Ribeiro, Dezembro de 2019:https://revistas.uminho.pt/index.php/2i/article/view/2256/2534
  • Cinefilia e Cinefobia no Modernismo Português (vias e desvios), Porto, Afrontamento, 2014, 125 pp.

João Paulo Guimarães

João Paulo GuimarãesJoão Paulo Guimarães doutorou-se em Literatura Anglo-Americana na State University of New York at Buffalo em 2017, com financiamento de bolsas Fulbright e FCT. No período de 2018-2020, desenvolveu um projecto pós-doc financiado pelo Irish Research Council na University College Dublin. No geral, o seu trabalho estuda os pontos de ligação entre a poesia americana contemporânea e a história/filosofia da ciência. Na sua tese de doutoramento, dedicou-se ao estudo da relação entre a linguagem poética e as chamadas “linguagens da natureza”: a palavra de Deus, o código genético, a cibernética, a biosemiótica, etc. Centrou-se, acima de tudo, sobre o modo como os poetas das vanguardas deram nova vida ao conceito Romântico de “forma orgânica”.
Enquanto Investigador Júnior (CEEC Individual 2017), irá continuar a sua investigação sobre representações do envelhecimento na poesia contemporânea. O seu trabalho neste campo pretende pôr em causa a ideia de que a velhice é uma fase da vida dedicada à recapitulação, reconciliação e resignação. Encontra-se a estudar a obra dos/as poetas Djuna Barnes, Marianne Moore, Charles Bernstein, Lyn Hejinian e Ron Silliman. Organizou, em 2020, um colóquio com o título “Aging Experiments: Futures and Fantasies of Old Age”, sobre representações da velhice nas vanguardas, na ficção científica e na fantasia. Encontra-se a editar uma colecção de ensaios sobre este tema. Em 2021 irá organizar um colóquio sobre envelhecimento em obras de terror, com o título “Fear of Aging: Old Age in Horror Fiction and Film”.
Publicou artigos sobre os/as poetas Ed Dorn (Western American Literature), Kate Colby (Nordic Journal of English Studies), Bruce Andrews (CounterText), Kazim Ali (Revista de Estudios Norteamericanos), Leslie Scalapino (Anglo Saxonica) e Anne Carson. Também escreveu sobre o cineasta Pedro Costa e o músico Captain Beefheart (Interdisciplinary Literary Studies). Finalmente, também tem escrito e organizado eventos sobre escrita académica. Publicou um curto manual sobre o tema – Escrita Académica: Regras, Estrutura, Colaboração (Politécnico de Coimbra, 2019) – e irá, em 2021, co-organizar, com Marinela Freitas, uma série de conversas com o título “Plano D: o que Fazer Depois do Doutoramento?”.

Categoria: Investigador Júnior

Principais áreas de investigação: 

  • Estudos sobre o envelhecimento;
  • Poesia contemporânea norte-americana;
  • Poesia e cinema;
  • História e filosofia da ciência.

Grupo de investigação: Intersexualidades

E-mail: joaocout@buffalo.edu

ORCID: 0000-0001-7368-2522

CIÊNCIA ID: 5D1E-E448-6D29

Publicações/Artigos: 

  • “Anne Carson, Dementia and the Negative Self” (c/ Daae Jung). Masculinities Living in the Words of Others: Alzheimer’s and Dementia Narratives. Ed. Heike Hartung, Rüdiger Kunow and Matthew Sweeney. Bloomsbury. (no prelo)
  • “The Pulp Vanguard: Bruce Andrews’s Noir Series and the Dead-End of Escapist Experimentalism.” CounterText. Ed. Ming-Qian Ma. Edinburgh University Press. (no prelo)
  • “’I Have a Crush on Your Skeleton’: Ecophobia, the Blues and Captain Beefheart’s Lewd(ic) Ecology.” Interdisciplinary Literary Studies 20.3. Penn State University Press, 2018. 385-406.
  • “Sleeping Together: Antiquarianism, Natural History and Kate Colby’s Narco-Poetics.” Nordic Journal of English Studies 17.2. University of Oslo Press, 2018. 29-49.
  • “Laughing for Survival: Jokes of Nature and Jokes of Language in Ed Dorn’s Gunslinger”. Western American Literature 50.4. Lincoln: University of Nebraska Press, 2016. 347-374.

Jorge Costa Lopes

Jorge-Costa-LopesJorge Costa Lopes é membro integrado do ILCML, doutorado pela FLUP – Fac. de Letras da Universidade do Porto, com a tese As Vozes do Silêncio – As Marginalia de Vergílio Ferreira nos livros de Fernando Pessoa, Clarice Lispector e Eduardo Lourenço. Autor de Sobre o Riso e o Cómico em Vergílio Ferreira (2014) e As Polémicas de Vergílio Ferreira (2010). Organizou e prefaciou a antologia Jornal de Um Artista de Beldemónio (2008). Vencedor do Prémio Vergílio Ferreira, na categoria ensaio, em 2014 (C.M. Gouveia), e Prémio Revelação de Ensaio Literário da APE / IPLB, em 2005. Encontra-se atualmente a concluir um pós-doutoramento sobre o “realismo problemático” de Óscar Lopes na coluna “A crítica do livro” do suplemento cultural de O Comércio do Porto.

Categoria: Membro integrado

Principais áreas de investigação:

  • Literatura Portuguesa Contemporânea;
  • Literatura comparada;
  • Estudos sobre Marginalia (bibliotecas particulares de autores).

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades 

E-mail: jorgecosta22lopes@gmail.com

ORCID: 0000-0002-2448-7605

CIÊNCIA ID: 641D-87A9-3568

Publicações/Artigos:

  • “‘Que Possível Ensaio sobre a Verdade em Vergílio Ferreira’ de Maria do Rosário Cristóvão” (2020), Colóquio-Letras n.º 203, Janeiro: 252-255.
  • “Eduardo Lourenço e o voo suspenso do interior na poesia neorrealista” (2019), Revista Textos e Pretextos n.º 22, Outono/Inverno: 9-19.
  • “Na Tua Face de Vergílio Ferreira – Uma memória terna de azul no tempo do feio” (2018), Revista Metamorfosesn.º 15.1: 45-56. (https://revistas.ufrj.br/index.php/metamorfoses/article/view/22232/12345).
  • O Riso e o Cómico em Vergílio Ferreira (2014), Lisboa, Âncora.

José Domingues de Almeida

José Domingues de Almeida - ILCMLJosé Domingues de Almeida possui um doutoramento em literatura francesa e francófona contemporânea. É membro integrado do ILCML, vice-presidente da APEF (Associação Portuguesa de Estudos Franceses) e diretor da revista eletrónica Intercâmbio. Suas áreas de investigação são a literatura francesa e francófona contemporânea, os estudos franceses e cultura e pensamento franceses contemporâneos. Recentemente, debruça-se sobre questões teóricas e críticas levantadas pelas literaturas migrantes, as narrativas pós-memoriais judaicas, bem como a questão da Europa literária.

Categoria: Professor auxiliar

Principais áreas de investigação: 

  • Literatura Francesa Contemporânea;
  • Literaturas Francófonas;
  • Literaturas migrantes de expressão francesa;
  • Europa literária;
  • Estudos pós-memorais.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

E-mail:jalmeida@letras.up.pt

ORCID: http://orcid.org/0000-0002-4564-2766

CIÊNCIA ID: 8D18-CB52-6A14

Publicações/Artigos:

2019 (com F. Outeirinho) Sur la Toile. Jules Verne en portugais, ou de nouveaux voyages. In J. Almeida e F. Outeirinho (Eds.), Tours verniens. Géographie, langue et textes littéraires(pp. 31-41). Paris: Le Manuscrit, col. “Exotopies”. ISBN: 978-2-304-04696-0.

2019 Concurrences victimaires. Intégration et désintégration communautaire dans Zimmer d’Olivier Benyahya et Burn outde Mehdi Meklat et Badoudine Saïd Abdallah. In A. P. Coutinho, F. Outeirinho e J. Almeida (Eds.), lasemaine.fr 2018 (pp. 18-31). ISBN: 978-989-8969-11-8. Disponível em https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/119414

2019 (com F. Outeirinho) Europe d’ici et d’ailleurs dans la Littérature de Jeunesse: dépassement des représentations binaires ? Réflexions à partir de L’Oued et le consul, et autres nouvellesde F. Laroui et Afropean Soul et autres nouvellesde L. Miano. Cahiers Robinson “Une littérature de Jeunesse européenne au XXIe siècle ?” 46, 135-144. ISSN1253-6806

2018 Le Brésil révélateur et l’exil ambigu dans L’Herbe à brûler(C. Detrez) et La Salamandre(J.-Ch. Rufin). In E. V. Martin, N. Kermele, M. E. Chaves e J. L. Jobim (Eds.), Dialogues France-Brésil. Circulations-Représentations-Imaginaires(pp. 465-473). Pau: PUPPA. ISBN: 2-35311-091-6. [anexo Pub. 4]

2018 Marcher, Flâner, Écrire… Avec le plan des villes en main: la topophilie urbaine chez Grégoire Polet et Jean-François Dauven. In A. P. Coutinho, J. Bastos, F. Outeirinho e H. Laurel (Eds.), Espaços literários: poéticas urbanas(pp. 113-127). Porto: ILCML, col. “Libretos” 17. DOI: 10.21747/9789899999978/lib17. ISBN: 978-989-99999-7-8. Disponível em https://www.ilclivrosdigitais.com/index.php/ilcld/catalog/view/16/11/83-1

José Eduardo Reis

José Eduardo ReisJosé Eduardo Reis é professor associado na Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) onde leciona na área dos estudos literários. É investigador do Instituto Literatura Comparada Margarida Losa (ILCML) da Faculdade Letras da Universidade do Porto (FLUP) onde tem prosseguido investigação comparatista com ênfase nos estudos literários e culturais sobre a utopia. É mestre em estudos literários comparados com uma tese sobre a influência de Schopenhauer na obra literária de Jorge Luís Borges e doutor em literatura comparada com uma dissertação sobre o espírito da utopia nas culturas literárias portuguesa e inglesa (FCG/FCT, 2007). É autor de vários artigos em revistas especializadas (30), ensaios e capítulos de livros (21), editor de duas utopias literárias portuguesas, Irmânia de Ângelo Jorge (2003) e Redenção de Amílcar de Sousa (2011), co-editor de Nowhere, Somewhere (2006), e de Utopian Foodways: Critical Essays (2019,) Co-organizador do nº36, Utopia e alimentação, dos Cadernos de Literatura Comparada (2017), do livro Os Médicos de “O Vegetariano”  (2019). É membro do corpo editorial das revistas académicas Letras VivasNova ÁguiaCultura entre Culturas e Atlante.É membro do conselho consultivo internacional das Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa e membro da Comissão Internacional da História Global da Literatura Portuguesa (HGLP). Peer-review das revistas académicas Utopian Studies (Penn State University Press), Cadernos de LIteratura Comparada (FLUP), Vista Panorâmica (FLUP), Revista da APEAA Op. Cit. Em 2011 foi professor visitante do departamento de estudos românicos e germânicos da Universidade de Nova Deli (Índia).

Categoria: Professor Associado

Principais áreas de investigação: 

  • Estudos literários e culturais sobre a utopia;
  • Culturas literárias portuguesa e inglesa;
  • Influência de Schopenhauer na obra literária de Jorge Luís Borges.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades e Intersexualidades

E-mail: jereis@utad.pt

ORCID: 0000-0003-1002-0630 

CIÊNCIA ID: E218-E38D-F62B

Publicações/Artigos:
As publicações e artigos estão disponíveis aqui.

Lígia Bernardino

Lígia-BernardinoLígia Bernardino desenvolveu os seus estudos literários na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, tendo aí concluído o doutoramento em 2014, com a tese Limiares do Humano. Estudo sobre Jorge de Sena, Maria Gabriela Llansol e Gonçalo M. Tavares. Desde então, e para além da sua atividade enquanto professora e tradutora, tem publicado diversos artigos em publicações nacionais e internacionais especializadas em literatura, visando a indagação do fator humano na conceção do mundo presentemente vivenciado. Nesta abordagem plural da literatura e do ser humano, desenvolve ainda um trabalho edição e conceção de verbetes incluídos na plataforma digitalA Europa Face à Europa, do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Assim, enquanto investigadora literária, o seu objeto de análise consiste nas representações que o ser humano produz para exprimir as conexões estabelecidas entre si, a natureza e/ou a máquina. Os diversos textos publicados exemplificam um trabalho de investigação que, incidindo na literatura, adota uma perspetiva filosófico-cultural na análise do ser humano projetado no século XXI, num questionamento dos desafios éticos que a contemporaneidade enfrenta.

Categoria: Membro integrado

Principais áreas de investigação:

  • A literatura e a Europa contemporâneas;
  • Natureza;
  • Técnica;
  • Ética;
  • Pós-humano.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades e Intermedialidades

E-mail: ligia.bernardino@gmail.com

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2126-8781

CIÊNCIA ID: 321F-9FBB-DC63

Publicações/Artigos:

Manuela Veloso

MVelosoManuela Veloso– Doutorada em Literatura Comparada (Vorticismo e Expressionismo) e Professora Adjunta no ISCAP/ Politécnico do Porto, leccionando Alemão para fins específicos (Lic.AT), Tradução Intersemiótica Alemão/Inglês – Português (MTIE), Cultura e Desenvolvimento II e Cultura Alemã para Negócios II (MaISB). É membro colaborador do CEI/ISCAP (Centro de Estudos Interculturais) e membro integrado do ILCML (Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa / Faculdade de Letras da Universidade do Porto) como investigadora do grupo de Intermedialidades, com particular incisão nas questões da auto-tradução (S. Beckett), da dupla-vocação na escrita e na pintura (Wyndham Lewis, Else Lasker-Schüler, Almada Negreiros), bem como da confluência da teoria e da criação artísticas num mesmo autor (E. Pound, W. Kandinsky, I. Witkiewicz). As primeiras vanguardas europeias são investigadas enquanto embriões de novas possibilidades perceptuais e de reconfiguração das matrizes societais.

Categoria: Professora Adjunta (ISCAP/Politécnico do Porto)

Principais áreas de investigação:

Grupo de investigação: Intermedialidades

E-mail: manuelarveloso@gmail.com

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5355-1912

CIÊNCIA ID: D21A-0C52-195F

Maria Antónia Gaspar Teixeira

Licenciou-se em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, em 1974, onde obteve também o grau de Mestre em Literatura Alemã e Comparada, em 1992, com um estudo sobre a receção portuguesa do drama Mutter Courage und ihre Kinder. Doutorou-se na Universidade do Porto, em 2007, com um estudo sobre a receção portuguesa do romance Die Leiden des jungen Werthers. Desde 1974 exerce funções docentes na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde ocupa atualmente o lugar de Professora Auxiliar. Membro do Centro Interuniversitário de Estudos Germanísticos desde a sua fundação, passou a integrar, em 2007, o Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Para além de diversos artigos em publicações da especialidade, maioritariamente na área da receção e da crítica da tradução literárias (e.g. Apontamentos sobre a versão portuguesa da peça Biedermann und die Brandstifter, 2012; Zur Münchhausen-Rezeption in Portugal: eine Fallstudie, 2013), é co-autora da obra Do Pobre B. B. em Portugal (Minerva/Centro Interuniversitário de Estudos Germanísticos, 1998) e autora de A Recepção Portuguesa de Die Leiden des jungen Werthers (desde 1784 até Finais do Primeiro Romantismo) (MinervaCoimbra/Centro de Investigação em Estudos Germanísticos, 2009). As suas principais áreas de investigação são as relações culturais e literárias luso-alemãs, a receção portuguesa de autores de língua alemã e a crítica da tradução literária.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

Maria de Fátima Outeirinho

fatoutMaria de Fátima Outeirinho é Professora Associada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde lecciona nas áreas dos Estudos Franceses e da Literatura Comparada, tendo-se doutorado precisamente nesta última área de conhecimento com uma tese sobre O Folhetim em Portugal no Século XIX: uma nova janela no mundo das letras (2003). Coordena o grupo Inter/transculturalidades no quadro do projecto Literatura e fronteiras do conhecimento: políticas de inclusão do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, no âmbito do qual desenvolve investigação, nomeadamente, no domínio da Literatura de Viagens, campo também de docência. Tem como principais domínios de investigação a Literatura Comparada, Literatura e Cultura Francesas (Séculos XVIII e XIX), Relações Literárias e Culturais Portugal-França, Estudos sobre as Mulheres, Literatura de Viagens. É autora e organizadora de diversos estudos críticos nestes domínios.

Categoria: Professora Associada

Principais áreas de investigação: 

  • Literatura Comparada;
  • Literatura e Cultura Francesas (Séculos XVIII e XIX);
  • Relações Literárias e Culturais Portugal-França;
  • Estudos sobre as Mulheres;
  • Literatura de Viagens.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

E-mail: mf-outeirinho@sapo.pt

ORCID:0000-0003-1533-8955 

CIÊNCIA ID: C413-58BF-B931

Maria de Lurdes Sampaio

Maria de Lurdes Rodrigues Morgado Sampaio (1961) é Professora Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, investigadora do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (onde integra o projeto de investigação Interidentidades) e colaboradora do Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (de cuja Direção fez parte entre 2011-2013). Integrou a equipa de investigação do projeto Novas Cartas Portuguesas – Três Décadas Depois, coordenado por Ana Luísa Amaral, que conduziu à publicação, em 2010, da Edição Anotada de Novas Cartas Portuguesas, de Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa. Mestrado em Estudos Anglo-Americanos com a dissertação, Ezra Pound e o Período Londrino: em torno do discurso social da poesia (Univ. Coimbra, 1989) e doutoramento em Literatura com a tese, História Crítica do Género Policial em Portugal (1870-1970): Transfusões e Transferências (UP, 2007). A sua atividade crítica tem contemplado autores vários desde José Marmelo e Silva a José Craveirinha (em comunicações orais não publicadas) a muitos outros na base de ensaios publicados em revistas nacionais e internacionais (Ezra Pound, Eça de Queirós, Fernando Pessoa, Miguel Torga, José Cardoso Pires, José Gomes Ferreira, Julieta Monginho, Manuel Poppe, Regina Guimarães, Stieg Larsson, Mia Couto). Os temas estudados privilegiam os seguintes domínios: modernismo(s); relações entre “cânone” e “não-cânone” no sistema literário português; censura, tradução e relações interculturais no Estado Novo; o policiamento tecnológico da/na sociedade contemporânea. Publicações seleccionadas: Portugal face à Europa (IDL, 1980); Aventuras Literárias de Eça de Queirós e Ramalho Ortigão (Angelus Novus, 2005), “Ezra Pound and Fernando Pessoa with T.S. Eliot in-between”, in Portuguese Modernisms, ed. por Dix e Pizarro (Legenda, 2011); co-autora, com Patricia Odber de Baubeta e Margarida Vale de Gato: The Anthology in Portugal: Literature, Translation and the Margins (Peter Lang, 2014); co-editora, com Gonçalo Vilas Boas, de Crime, Detecção e Castigo. Estudos sobre Literatura Policial (Granito, 2001) e Ficção Policial: antologia de ensaios teórico-críticos (Afrontamento / ILCML, 2013). “Rostos e sombras de mulheres nas estórias de Mia Couto”, in Portugal Brasil África: relações históricas, literárias e cinematográficas (coord. Cristina Costa Vieira, Paulo Osório, José Henrique Manso), UBI, 2014.

Grupos de investigação: Inter/Transculturalidades e Intersexualidades

Maria Dulce de Almeida Pinto Soares

Dulce-SoaresMaria Dulce de Almeida Pinto Soares é doutorada em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos, especialidade Literatura e Cultura – Estudos Comparatistas –, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com uma tese intitulada Entre vozes e espelhos: um olhar sobre a Literatura de Viagens contemporânea portuguesa (2018),dando a ver uma panorâmica significativa do estado atual da Literatura de Viagens portuguesa. Realizou o mestrado em Literatura e Cultura Comparadas na mesma faculdade com a dissertação Gonçalo Cadilhe e a Outra face do Mundo: viagens sobrepostas (2009). Docente e investigadora, é membro integrado do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, pertence ao grupo Inter/Transculturalidades no quadro do seu programa estratégico, subordinado à temática universal Literatura e Fronteiras do Conhecimento: Políticas de Inclusão, tendo como principais domínios de interesse a Literatura Comparada, a Literatura de Viagens e os Estudos Interartísticos. É autora de estudos críticos nestes domínios, centrando a sua investigação na Literatura de Viagens portuguesa contemporânea, contemplando um mosaico variegado de autores como Alexandra Lucas Coelho, Gonçalo Cadilhe, Jacinto Lucas Pires, Miguel Sousa Tavares, Pedro Rosa Mendes, Tiago Salazar, entre outros. Tem participado como oradora em colóquios e na organização de atividades no âmbito doprojeto estratégico do grupo, numa perspetiva de investigação-ação.

Categoria: Membro integrado do ILC

Principais áreas de investigação:

  • Literatura Comparada;
  • Literatura de Viagem;
  • Estudos Interartísticos;
  • Cinema.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

E-mail: dulcesoar@gmail.com

ORCID: 000-0002-3152-9391

CIÊNCIA ID: 201B-6D45-9050

Publicações/Artigos:

  • SOARES, Maria Dulce de Almeida Pinto (2019),“Declinações fílmicase viagem em Livro Usadode Jacinto Lucas Pires: um olhar entre lentes” (2019) in Jornadas Em torno de Viagens e outras Deslocações (em vias de publicação no ILC).
  •                                                        (2019), “Jacinto Lucas Pires”, in Ulyssei@s: Enciclopédia Digital. ISBN 978-989-99375-2-9.
  •                                                        (2018) Entre vozes e espelhos: um olhar sobre a Literatura de Viagens portuguesa contemporânea. Tese de Doutoramento, Porto, Faculdade de Letras da Universidade do Porto.
  •                                                        (2011), “Gonçalo Cadilhe”, in Ulyssei@s: Enciclopédia Digital. https://ulysseias.ilcml.com/pt/termo/cadilhe-goncalo/
  •                                                        (2009) Gonçalo Cadilhe e a Outra face do mundo: viagens sobrepostas. Dissertação de Mestrado em Literatura e Cultura Comparadas, Porto, Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Maria José Carneiro Dias

MJosé-DiasMaria José Carneiro Dias é professora do ensino secundário na Escola Secundária de Paços de Ferreira, onde tem lecionado as disciplinas de Literatura Portuguesa e Português. Nessa escola, codinamiza desde 2005 o grupo de teatro Máscaras. Com um mestrado em Estudos Literários Culturais e Interartes (FLUP, 2009), no âmbito do qual defendeu uma tese sobre a forma como na ficção do escritor libanês Amin Maalouf a literatura se faz ponte mediadora entre Oriente e Ocidente, doutorou-se posteriormente na mesma faculdade em Literaturas e Culturas Românicas – especialidade de Literatura Portuguesa – (2014), com uma tese, recentemente publicada pela INCM, sobre a globalidade da ficção de Maria Velho da Costa e a forma como nela se equacionam as questões de autoria e a natureza das relações entre a arte e a vida.

Categoria: Professora de Ensino Secundário

Principais áreas de investigação:

  • Estudos Literários;
  • Estudos Interculturais;
  • Estudos Interartísticos.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

E-mail: dias.mariajose@gmail.com

ORCID: 0000-0002-5048-2437

CIÊNCIA ID: B319-A823-971A

Publicações/Artigos:

  • “Maria Velho da Costa – a literatura como arte do espetáculo”, in Saber de mim sabendo das coisas: Homenagem a Maria Velho da Costa, Cadernos de Literatura Comparada, nº 42 (2020).
  • “Uma geografia de rosto humano”, in CEM, Cultura, Espaço & Memória, nº 11 (2020) – Dossier temático «Paisagens Patrimoniais», Citcem, Flup, Edições Afrontamento, pp. 183-198;
  • “Maria Velho da Costa – Um mistério glososo”, in Pelos Mares da Língua Portuguesa, nº 4, e-book, acessível em https://ria.ua.pt/handle/10773/27566, Aveiro, UA Editora, pp.543-552;
  • “Da realidade não prefiro a humana”, in Cães e Imaginário, Coleção Hespérides – Literatura, nº 37, Universidade do Minho, Centro de Estudos Humanísticos, 2019, Edições Húmus, pp. 215-224;
  • “Matar para não morrer – Configurações do mal em Maria Velho da Costa”, in Cadernos do Ceil, nº 5, 2018, Universidade Nova de Lisboa, pp. ;
  • “O baldio como espaço de resgate afetivo”, in Geocrítica, nº 38, 2018, edição eletrónica de Cadernos de Literatura Comparada, ILC, Flup; Amin Maalouf – La littérature comme médiation entre l’Orient et l’Occident, 2018, Éditions Universitaires Européennes;
  • “Amin Maalouf: le chemin vers l’autre se fait en voyageant – L’itinéraire comme stratégie de reconfiguration identitaire”, in Intercâmbio, 2011, 2ª Série, nº 4, FLUP;
  • “O corpo e o Homem – entre a pergunta e a interrogação”, in Vergílio Ferreira – Escrever e Pensar ou O Apelo Invencível da Arte, 2017, Âncora Editora, Gouveia, pp. 167-176;
  • Maria Velho da Costa, uma poética de au(c)toria, 2018, Lisboa, Imprensa Nacional Casa da Moeda;

Maria Luísa Malato

ILCMLMaria Luísa Malato é professora Associada, com Agregação, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Agregação em Literaturas Românicas (2007), Doutoramento e Mestrado em  Literatura Comparada (1999, pela Universidade do Porto; 1988, pela Universidade de Coimbra). Áreas principais de investigação: Utopia, Teatro e Retórica, essencialmente sobre a literatura dos séculos XVIII e XIX. Integra os grupos de  Alimentopia (em que coordena a pesquisa sobre a Idade Moderna) e de Inter/transculturalidades, no quadro do projeto Literatura e fronteiras do conhecimento: políticas de inclusão do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Outras funções científicas: regência dos cursos de Biblioterapia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Co-direção de Pontes de Vista, Revista online de Filosofia e Literatura. Desde 2013[-2019], Vice-Presidente da Associação Portuguesa de Literatura Comparada (APLC). Para além da publicação em diversas revistas (Colóquio Letras, Biblos, Con-vida, Cadernos de Literatura Comparada, Carnets, Fragmentum, Revista Internacional d’Humanitats,…), publicou, entre outros livros, Uma História da Literatura Europeia (2008); Le XVIIIe Siècle: une Epoque d’Ombres et de Lumières (2009); Manual Anti-Tiranos(2009).

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

CIÊNCIA ID: 731F-4555-6064

Maria Teresa Martins de Oliveira

Maria Teresa Martins de Oliveira é Professora Associada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde leciona literatura e cultura alemãs e estudos de memória, tendo-se doutorado com uma tese sobre A mulher e o adultério nos romances Effi Briest de Theodor Fontane e O Primo Basílio de Eça de Queriós.
É membro do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, onde integra o grupo Inter/Transculturalidades, no quadro do projeto Literatura e Fronteiras do Conhecimento: políticas de inclusão. Integra ainda o projeto de investigação ExFemLiOn: Exílio Feminino Literário Online, com sede na Universidade de Santiago de Compostela, dando continuidade a outros projetos na área da escrita autobiográfica de autoras judias alemãs (séc. XIX e XX).
As suas áreas de investigação privilegiada são: literatura comparada, estudos de género e de masculinidade, estudos sobre mulheres, judaísmo e identidade na literatura de expressão alemã. É autora e organizadora de diversos livros e estudos críticos nessas áreas.

Grupo de investigação: Inter/Transculturalidades

ORCID: 0000-0001-9019-8556

CIÊNCIA ID: 601C-AF49-444F

Marinela Carvalho Freitas

marinelaMarinela Freitas é Investigadora Doutorada Contratada do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (ILCML), de cuja Direção faz parte e onde coordena a linha de investigação Intersexualidades. É doutorada em Estudos Anglo‑Americanos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com uma dissertação sobre Emily Dickinson e Luiza Neto Jorge. É autora de Emily Dickinson e Luiza Neto Jorge: Quantas Faces? (Afrontamento, 2014), pelo qual recebeu o Prémio PEN Clube – Ensaio 2015. Co-editou vários livros e revistas científicas na área da Literatura Comparada, dos Estudos Feministas e dos Estudos da Utopia, entre os quais se destacam:  Pós-humano. Que futuro? Antologia de Textos Teóricos(com Lígia Bernardino e Ricardo Gil Soeiro); Legados e Heranças: Políticas (Inter)sexuais Hoje (2019, com Ana Luísa Amaral, Maria de Lurdes Sampaio e Alexandra Moreira da Silva), New Portuguese Letters to the World: International Reception (2015, com Ana Luísa Amaral e Ana Paula Ferreira), Novas Cartas Portuguesas Entre Portugal e o Mundo (2014, com Ana Luísa Amaral) e Utopia Matters (2005, com Fátima Vieira). Co-organizou (com Ana Luísa Amaral) uma antologia de poesia dedicada ao género e às sexualidades, intitulada Do Corpo: Outras Habitações. Identidades e Desejos Outros em Alguma Poesia Portuguesa (Assírio & Alvim, 2018; 343 pp.). Como investigadora, participou já de 8 projetos de investigação nacionais e internacionais na área da Literatura Comparada, dos Estudos Feministas e dos Estudos da Utopia. Desde 2015, integra a Equipa de Coordenação de She Thought It: Crossing Bodies in Sciences and Arts, uma base de dados dedicada a mulheres pioneiras nas áreas das ciências, das artes e da literatura (https://shethoughtit.ilcml.com/), alojada no ILCML. Entre 2015 e 2019, desenvolveu um projeto de Pós-doutoramento na área dos Estudos do Pós-humano, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Atualmente, leciona Estudos Feministas e Teoria Queer no Mestrado em Estudos Literários, Culturais e Interartes, na Faculdade de Letras do Porto.

Categoria: Investigadora Doutorada

Principais áreas de investigação: 

  • Poéticas Comparadas;
  • Poesia Portuguesa do Século XX;
  • Poesia Norte-Americana do Século XIX;
  • Estudos do Pós-Humano;
  • Literatura e Ciência;
  • Estudos Feministas;
  • Teoria Queer;
  • Utopia e Género.

Grupo de investigação: Intersexualidades e Intermedialidades

E-mail: mcfreitas@letras.up.pt

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1819-4803

CIÊNCIA ID: 0711-3C9E-3C23

Publicações/Artigos: 

  • Pós-humano. Que futuro. Antologia de Textos Teóricos (no prelo). Ed. Lígia Bernardino, Marinela Freitas, Ricardo Gil Soeiro. V. N. Famalicão: Edições Humus.
  • “’Meu Senhor de Quê’: Travestimentos da voz na poesia de Ana Luísa Amaral” (no prelo), Revista Pontos de Interrogação, 10.2: Gêneros e Sexualidades dissidentes na literatura e na cultura. Estado da Bahia, Brasil. ISSN 2178-8952
  • eLyra: Revista da Rede Internacional Lyracompoetics n.16: Género, Sexualidades, Raça. Que Poesia Hoje? (2020), Org. Ana Luísa Amaral, Catherine Dumas, Graça Capinha, Marinela Freitashttps://elyra.org/
  •  “‘Neither Man nor Woman’: Ana Luísa Amaral’s Queerful Poetics” (2020), Portuguese Studies, vol. 36, no. 2, 2020, pp. 220-236. JSTOR, www.jstor.org/stable/10.5699/portstudies.36.2.0220.
  • E Se…? Narrativas Especulativas sobre Alimentação e Sociedade – Uma Antologia, General Coord. Fátima Vieira. Org. Luísa Malato, Jorge Bastos da Silva, Iolanda Ramos, Marinela Freitas. Porto: U.Porto Press.
  • “What May Happen in the Next Hundred Years: Joanna Russ’s Food Forecast” (2019), in Utopian Foodways: Critical Essays. Ed. Teresa Botelho, José Eduardo Reis and Miguel Ramalhete Gomes. Porto, U.Porto Press, pp. 95-102.
  •  E contudo, elas movem-se! Mulheres e Ciência (com poemas) (2019), Ed. Ana Luísa Amaral, Marinela Freitas. Porto: U.Porto edições.

Pedro Eiras

peirasPedro Eiras é Professor de Literatura Portuguesa na Universidade do Porto, Investigador do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, Membro da Rede de Pesquisa Internacional LyraCompoetics. Desde 2005, publicou diversos livros de ensaios sobre literatura portuguesa dos séculos XX e XXI, estudos interartísticos, questões de ética. Entre os mais recentes: O Riso de Momo – Ensaio sobre Pedro Proença (2018), […] – Ensaio sobre os Mestres (2017), Platão no Rolls-Royce – Ensaio sobre literatura e técnica (2015), Constelações – Ensaios comparatistas (2013), Os Ícones de Andrei – Quatro diálogos com Tarkovsky (2012). Com Esquecer Fausto (2005) ganhou o Prémio Pen Clube Português de Ensaio. Presentemente, desenvolve pesquisas sobre a representação e o imaginário do fim do mundo.

Grupo de investigação: Intermedialidades

ORCID: 0000-0002-5296-6806

CIÊNCIA ID: 2C18-0FD2-2057

Rosa Maria Martelo

rosamRosa Maria Martelo é professora associada com agregação na Faculdade de Letras da Universidade do Porto e investigadora principal do Grupo Intermedialidades do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, a cuja Direcção pertence. Doutorada em Literatura Portuguesa, tem privilegiado o estudo da poesia portuguesa e das poéticas modernas e contemporâneas. No âmbito da Literatura Comparada e dos Estudos Interartísticos, os seus trabalhos têm-se centrado nas relações palavra/imagem, particularmente nos diálogos da poesia moderna e contemporânea com o cinema. Algumas publicações no âmbito do ensaio: A Forma Informe – Leituras de Poesia (2010), Prémio Jacinto do Prado Coelho, O Cinema da Poesia (2012), Prémio Eduardo Prado Coelho/APE e Prémio Pen Clube. Co-organizou, com Joana Matos Frias e Luís Miguel Queirós, a antologia Poemas com Cinema (Assírio & Alvim, 2010). Faz parte da Rede de Pesquisa Internacional LyraCompoetics e dirige com Paulo de Medeiros a revista eLyra. Uma pequena selecção de trabalhos seus pode ser encontrada aqui.

Grupo de investigação: Intermedialidades e Intersexualidades

ORCID: 0000-0002-4978-7620

CIÊNCIA ID: 0E10-A659-4309

Rosa Mesquita

rosamesDoutorada em Literaturas e Culturas Românicas – especialidade de Literatura Portuguesa, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, apresentou a tese intitulada: Luís Miguel Nava, Leitor de Eugénio de Andrade: Duas Poéticas em Diálogo, mostrando as vozes surdas que ecoam entre distintas formas de escrita/leitura. É docente do Ensino Secundário, onde leciona as disciplinas de Português e de Francês. No Instituto de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP), leciona as disciplinas de Teoria da Comunicação e Práticas Textuais I e II. Participa ainda, como colaboradora externa, na equipa de investigação “Intermedialidades”, no Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Com interesse especial pela poesia portuguesa dos séculos XX e XXI e pelas suas relações com outras artes, nomeadamente com o cinema e com a pintura, trabalhou a obra Migrações do Fogo, de Manuel Gusmão, articulando a palavra poética com toda uma vertente ecfrástica implícita/explicita.

Grupo de Investigação: Intermedialidades