História

História

O Instituto de Literatura Comparada, apesar de formalmente criado em 1985, só em 1997 veio a iniciar uma atividade de investigação regular, graças ao esforço de Margarida Losa (1943-1999), investigadora a quem muito devemos, desde logo pelo seu empenho no desenvolvimento da área da Comparatística na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Ao incluir o seu nome na designação deste Instituto, pretendeu-se prestar-lhe homenagem e lembrar o seu trabalho.

Em 1999, o Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (ILCML) constitui-se como Unidade I&D e começa a desenvolver o seu Projeto de Investigação com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, no Quadro do Programa Operacional Ciência e Inovação (POCTI). Desde então, o Instituto tem-se organizado em torno de denominadores comuns: Literatura e Identidades (2000-2004), Interidentidades (2005-2014) e Literatura e Fronteiras do Conhecimento (2015-2022).

Plano Estratégico

Literatura e Fronteiras do Conhecimento: Políticas de Inclusão (2015-2022)

Consultar (em breve)

Assim, entre 2005 e 2014, o projeto interno Interidentidades congrega o desenvolvimento das diferentes áreas de pesquisa em três grandes domínios nucleares: Liminaridades, Subjetividades e Sexualidades. O primeiro domínio, Liminaridades, explora sobretudo os conceitos de fronteira, margem e troca, enquanto os outros dois, Subjetividades e Sexualidades, exploram em particular questões ligadas à identidade pessoal e à enunciação, às identidades sexuais, aos papéis de género e às políticas do corpo.

A partir de 2015, esses domínios evoluem no sentido do projeto estratégico Literatura e Fronteiras do Conhecimento: Políticas de Inclusão, que se divide em três linhas de ação, cada uma com diferentes objetos de análise e com questões de investigação e metodologias específicas. Estas linhas são exploradas por três grupos internos: Inter/Transculturalidades, Intermedialidades e Intersexualidades. Todos os grupos abordam conceitos como os de periferia, fronteira, inclusão e exclusão, hibridismo e resistência, a partir de um ponto de vista ético e estético.

No que diz respeito ao desenvolvimento de projetos de investigação financiados, entre 2002 e 2010, o Instituto acolhe as três edições do projeto Utopias Literárias e Pensamento Utópico: a cultura portuguesa e a tradição intelectual do Ocidente (POCTI/ELT/38653/2001; POCTI/ELT/46201/2002; PTDC/ELT/67788/2006), coordenadas por Fátima Vieira.

Ainda no âmbito dos Estudos da Utopia, o Instituto irá acolher, entre 2015 e 2019, e desta vez em parceria com a Unidade de I&D CETAPS, e com a colaboração da Direção Geral de Saúde e da Associação Portuguesa de Nutricionistas, o projeto multidisciplinar Alimentopia/ Utopia, Food and the Future: Utopian thinking and the construction of inclusive societies – a contribution from the Humanities, coordenado por Fátima Vieira.

No campo dos Estudos Feministas, o ILCML acolhe, entre 2009 e 2014, os projetos Novas Cartas Portuguesas três décadas depois e Novas Cartas Portuguesas 40 Anos Depois, ambos coordenados por Ana Luísa Amaral. Também no âmbito dos Estudos de Género, o Instituto colabora, desde 2015, no projeto ExFemLiOn, sediado na Universidade de Santiago de Compostela.

Entre 2017 e 2020, o ILCML integra o consórcio do projeto europeu LEA! Lire en Europe Aujourd’hui / Reading in Europe Today, financiado pela Comissão Europeia, no âmbito do programa Erasmus+ Strategic Partnership Grant.

A partir de 2017 são também estabelecidas parcerias de colaboração com dois projetos sediados na Universidade de Vigo: POEPOLIT I : Poesía actual y política: Análisis de las relaciones contemporáneas entre producción cultural y contexto sociopolítico e POEPOLIT II: Poesía actual y política: conflicto social y dialogismos poéticos, financiados  pelo Ministério da Ciência, da Inovação e das Universidades do Governo de Espanha.

Projetos de Investigação

Projetos com financiamento desenvolvidos no Instituto

Saber mais

O desenvolvimento e a divulgação da investigação levada a cabo nos últimos 20 anos tem passado também pelo desenvolvimento de uma forte política de publicação e de trabalho editorial. Desde 2001, o Instituto publica a revista bianual Cadernos de Literatura Comparada (passada a formato digital em 2013), a única revista em Portugal exclusivamente dedicada à Literatura Comparada. Em 2013, no âmbito da rede Lyracompoetics, é criada a revista eletrónica eLyra, dedicada às poéticas modernas e contemporâneas, e às relações intermediais, com particular destaque para as relações entre a poesia, o cinema e as artes visuais.  Entre 2014 e 2018, jovens doutorandos do ILCML criam a revista eletrónica experimental Esc:ala, um espaço multimediático de diálogo e confronto entre o trabalho de jovens investigadores e o de artistas emergentes, e da qual serão publicados onze números. Em 2020, surge a revista eletrónica Skhema: Revista Interartes, igualmente criada e dinamizada por jovens investigadores de doutoramento e pós-doutoramento, acolhendo trabalhos com dimensão interartística numa variedade de formatos: textual, visual, áudio, fílmico, plástico, fotográfico, performático, digital, entre outros.

Revistas

Publicações periódicas editadas no Instituto

Consultar

A par da dinamização destes periódicos, o Instituto cria também quatro coleções de livros, duas dedicadas ao ensaio – Estudos de Literatura Comparada e Cassiopeia – e duas dedicadas à tradução – Pulsar e Cygnus. Criada em 2013, a coleção Estudos de Literatura Comparada acolhe ensaios longos ou coletâneas de ensaios escritos pelos membros do ILCML, contando já com livros distinguidos com o Prémio PEN/Ensaio e vários títulos selecionados para a lista de finalistas. A coleção Cassiopeia, também criada em 2013 e dedicada a ensaios de tamanho médio, passou a formato digital em 2021. No campo da tradução, a coleção Pulsar publica, desde 2013, e em formato de bolso, pequenos ensaios traduzidos para português. Já a coleção Cygnus foi criada em 2017, disponibilizando ensaios longos em tradução. Em 2014, o ILCML cria uma nova coleção de estudos, em suporte exclusivamente digital – Libretos –  dedicada a volumes de dimensões relativamente reduzidas, resultantes de encontros científicos e/ou de intervenção cultural em torno de temáticas ou autores/as pertinentes para a investigação desenvolvida na Unidade.

Finalmente, no âmbito do projeto estratégico Literatura e Fronteiras do Conhecimento, foi criada, em 2017, uma coleção especial com o mesmo nome, contendo quatro volumes dedicados à apresentação dos resultados do referido projeto.

Para além destas edições, são vários os volumes editados pelo Instituto em editoras nacionais e internacionais (Alemanha, Bélgica, Brasil, Espanha, França e Reino Unido), contando também aqui com livros premiados.

Livros

Coleções de livros criadas e editadas pelo Instituto

Consultar

Ainda no âmbito da divulgação do trabalho desenvolvido no Instituto, foram criados recursos digitais, nomeadamente: Ulyssei@s, Escritores e Outros Criadores em Deslocação, que desde 2006 se dedica ao estudo dos diferentes aspetos culturais e literários da “deslocação”; a rede de pesquisa internacional LyraCompoetics, que se dedica, desde 2007, aos Estudos Interartes, cruzando Poesia, Cinema e Fotografia, entre outras formas artísticas; She Thought It: Crossing Bodies in Sciences and Arts, que se dedica desde 2018 a dar visibilidade ao trabalho mulheres cientistas ou artistas cujo trabalho tenha sido pioneiro nas áreas das ciências, das artes, da música e da literatura; A Europa face à Europa, que, desde 2018, investiga os diálogos que a literatura, per se e em relações intertextuais com outras artes, estabelece com a Europa pós-1945; e PASSAGEN: Artistas e intelectuais de língua alemã no exílio português, que, desde 2019, se dedica ao estudo dos intelectuais, escritores e outros artistas de língua alemã que passaram por Portugal ou aí permaneceram na sua fuga ao nazismo.

Recursos digitais

Bases de dados e de conhecimento desenvolvidas no Instituto

Consultar

A pós-graduação em Literatura Comparada criada pelo ILCML tem estado ancorada quer no trabalho de investigação quer nas iniciativas científico-culturais levadas a cabo pela Unidade. De 2004 a 2008, alguns investigadores do ILCML asseguraram a lecionação do Mestrado em Literatura e Cultura Comparadas. O Processo de Bolonha e as suas implicações em termos de oferta e estrutura curriculares na Faculdade de Letras do Porto levou à reestruturação dessa pós-graduação, pelo que aquela formação viria a ser reestruturada e, em 2007, a integrar o atual ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes, com um ramo de Estudos Comparatistas e Relações Interculturais. 

Formação

Cursos com o envolvimento de investigadores do Instituto

Consultar

Margarida Lieblich Losa

Margarida Lieblich Losa (1943-1999) foi Professora Associada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Formou-se em Filologia Germânica, pela Universidade de Lisboa, e obteve o grau de Mestre em Literatura Anglo-Americana pela Universidade de Rhode Island, Kingston, nos Estados Unidos. Obteve o Grau de Doutor em Literatura Comparada pela New York University e a Equivalência ao Grau de Doutor em Literatura Norte-Americana na Universidade do Porto.

Paulo Eduardo Carvalho

Paulo Eduardo Carvalho (1964-2010) foi Professor Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, membro integrado do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (UP) e colaborador do Centro de Estudos de Teatro (Universidade de Lisboa) e do Centre for English, Translation and Anglo-Portuguese Studies (UP).

Utilizamos cookies para proporcionar uma melhor experiência. Política de Privacidade